Breno Esaki/Agência Saúde Brasília
Breno Esaki/Agência Saúde Brasília

Com mais 3.459 mortes por Covid-19, Brasil chega a 361.884 óbitos na pandemia

Último boletim do Ministério da Saúde divulgou, ainda, mais 73.513 casos confirmado de Covid-19 em 24 horas


O último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde mostra mais 3.459 mortes por Covid-19 no Brasil e 73.513 casos confirmados da doença em 24 horas. Com esses números da noite de quarta-feira (15), o País chega ao total de 361.884 de óbitos na pandemia e 13,6 milhões de pessoas que já tiveram contato com o vírus.

Há também 3.609 mortes em investigação por equipes de saúde atualmente, para comprovar ou não o diagnóstico positivo para infecção como causa do falecimento. 

O número de brasileiros que contraiu a contaminação e se curou chegou a 2.170.771, enquanto os pacientes com casos ativos são 1.140.852.

O Brasil continua no topo dos países com mais mortes absolutas em decorrência da Covid-19 no mundo nos últimos 15 dias. 

São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são os estados com mais vidas perdidas para a pandemia, enquanto Amazonas, Roraima, Mato Grosso e Rondônia têm as maiores taxas de mortalidade a cada 100 mil habitantes.

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

O último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde mostra mais 3.459 mortes por Covid-19 no Brasil e 73.513 casos confirmados da doença em 24 horas. Com esses números da noite de quarta-feira, o País chega ao total de 361.884 de óbitos na pandemia e 13,6 milhões de pessoas que já tiveram contato com o vírus.

Há também 3.609 mortes em investigação por equipes de saúde atualmente, para comprovar ou não o diagnóstico positivo para infecção como causa do falecimento. 

O Brasil continua no topo dos países com mais mortes absolutas em decorrência da Covid-19 no mundo nos últimos 15 dias. São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul são os estados com mais vidas perdidas para a pandemia, enquanto Amazonas, Roraima, Mato Grosso e Rondônia têm as maiores taxas de mortalidade a cada 100 mil habitantes.