Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Erasmo Salomão/MS

Brasil tem 291 casos confirmados do novo coronavírus

Primeira morte em decorrência do Covid-19 foi confirmada em São Paulo


Em novo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, nesta terça-feira (17), o Brasil chegou a 291 casos confirmados do novo coronavírus. O Covid-19 está presente em 17 estados brasileiros. São Paulo segue como a unidade da federação com maior número de pessoas infectadas – são 162 ao todo, sendo 154 na capital e oito na região metropolitana.

A média de idade das pessoas infectadas é de 42 anos. Os dados divulgados pelo Ministério da Saúde apontam ainda que os casos importados, ou seja, de pessoas que retornaram de viagem do exterior representam 57% do total de ocorrências. Apenas em São Paulo e no Rio de Janeiro há registros de transmissão comunitária, quando não é mais possível saber a origem da infecção. Casos no Distrito Federal e em Sergipe ainda são investigados.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alerta que o surto do Covid-19 ainda deve se arrastar de 60 a 90 dias, e chama atenção para o cuidado com os idosos.

“Nós estamos imaginando que vamos trabalhar com números ascendentes abril, maio, junho. Nós vamos passar ai 60 a 90 dias de muito estresse. Cuidem dos idosos. É hora de filho, filha, cuidar de pai, mãe, avó, tia-avó”.

O governo de São Paulo confirmou a primeira morte em decorrência do novo coronavírus no Brasil. O paciente era um homem de 62 anos, diabético e hipertenso. Ele faleceu no dia 16 de março e estava internado na UTI do Hospital Sancta Maggiore Paraíso, na capital paulista, desde o dia 14 do mesmo mês. A vítima não tinha histórico de viagem, o que caracteriza transmissão comunitária.

Outros quatro óbitos na mesma unidade hospitalar estão sendo investigados como possíveis mortes por conta do Covid-19.

Em entrevista coletiva, a equipe do governo de São Paulo reiterou que são 162 casos confirmados no estado, sendo 154 na capital e oito em municípios da região metropolitana. A estimativa é de que a cada 160 casos do vírus, cerca de 30 sejam graves. Segundo o infectologista e coordenador do grupo de combate ao coronavírus de São Paulo, David Uip, a maioria dos pacientes em estado grave tem boa chance de recuperação.

“A gravidade desses pacientes, que é a minoria, ela se estabelece do terceiro ao sétimo dia. O indivíduo vem com poucos sintomas, e depois a gravidade. O que não quer dizer que ele vai ter todas as condições de recuperar. Doente grave é uma coisa, óbito é outra. A grande maioria dos pacientes graves, vai se recuperar”.

Nesta semana, o Ministério da Saúde anunciou a liberação de R$ 432 milhões aos estados para o enfrentamento do Covid-19. A distribuição do recurso é proporcional ao número de habitantes de cada unidade da federação.

Além disso, atendendo solicitação dos secretários estaduais de Saúde, a pasta inicia nesta semana a distribuição de 540 leitos de UTI para os 26 estados e o Distrito Federal.  

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: Em novo balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, nesta terça-feira (17), o Brasil chegou a 291 casos confirmados do novo coronavírus. O Covid-19 está presente em 17 estados brasileiros. São Paulo segue como a unidade da federação com maior número de pessoas infectadas – são 162 ao todo, sendo 154 na capital e oito na região metropolitana.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alerta que o surto do Covid-19 ainda deve se arrastar de 60 a 90 dias, e chama atenção para o cuidado com os idosos.

“Nós estamos imaginando que vamos trabalhar com números ascendentes abril, maio, junho. Nós vamos passar ai 60 a 90 dias de muito estresse. Cuidem dos idosos. É hora de filho, filha, cuidar de pai, mãe, avó, tia-avó”.

LOC: O governo de São Paulo confirmou a primeira morte em decorrência do novo coronavírus no Brasil. O paciente era um homem de 62 anos, diabético e hipertenso. A vítima não tinha histórico de viagem, o que caracteriza transmissão comunitária.

Outros quatro óbitos na mesma unidade hospitalar estão sendo investigados como possíveis mortes por conta do Covid-19.

Segundo o infectologista e coordenador do grupo de combate ao coronavírus de São Paulo, David Uip, a maioria dos pacientes em estado grave tem boa chance de recuperação.

“A gravidade desses pacientes, que é a minoria, ela se estabelece do terceiro ao sétimo dia. O indivíduo vem com poucos sintomas, e depois a gravidade. O que não quer dizer que ele vai ter todas as condições de recuperar. Doente grave é uma coisa, óbito é outra. A grande maioria dos pacientes graves, vai se recuperar”.

LOC: Nesta semana, o Ministério da Saúde anunciou a liberação de R$ 432 milhões aos estados para o enfrentamento do Covid-19. A distribuição do recurso é proporcional ao número de habitantes de cada unidade da federação.

Além disso, atendendo solicitação dos secretários estaduais de Saúde, a pasta inicia nesta semana a distribuição de 540 leitos de UTI para os 26 estados e o Distrito Federal.  

Reportagem, Thiago Marcolini