Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Arquivo/EBC

Aplicativo criado na USP permite diagnóstico da covid-19 por meio de radiografia do pulmão

A pesquisadora Paula Cristina dos Santos, afirma que, após o agrupamento das imagens, já foi possível detectar as diferenças entre pulmões afetados pela covid-19 e dos afetados pela tuberculose


Um aplicativo criado por pesquisadores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) da USP e do Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto é capaz de identificar se um paciente está infectado com covid-19. O resultado é obtido a partir de uma simples radiografia de pulmão. Além disso, a ferramenta pode ser utilizada na triagem de pacientes com suspeita da doença, já que permite a análise de várias imagens ao mesmo tempo.

Na primeira etapa de criação do dispositivo, os pesquisadores analisaram 3.500 imagens, sendo duas mil de pacientes com covid-19; quinhentas de pacientes com tuberculose e mil de pessoas sem nenhuma doença. A pesquisadora Paula Cristina dos Santos, afirma que, após o agrupamento das imagens, já foi possível detectar as diferenças entre os pulmões afetados pela covid-19 e dos afetados pela tuberculose.

Vacina contra a Covid-19 começa a ser testada em voluntários de cinco estados e do DF

Pesquisadores brasileiros entram no páreo para a produção de vacina contra a Covid-19

Saúde cria força-tarefa para aprimorar aquisição e distribuição de insumos

Segundo Paula, o projeto ainda precisa passar por ajustes, mas, o aplicativo, apresenta uma assertividade de 93% a 98% no diagnóstico de pacientes com a covid-19. Os pesquisadores envolvidos na criação do dispositivo afirmam que outro fator que chamou atenção foi a confirmação do aumento na densidade do pulmão dos pacientes com a doença causada pelo novo coronavírus, que fica com “o aspecto de branco jateado, chamado na medicina de ‘vidro fosco’.

Uma das vantagens do aplicativo apontada pelo grupo é o fato de o médico poder enviar pelo celular várias imagens para triagem e diagnóstico, ou somente uma imagem para diagnóstico. A professora Geraldine Bosco garante que essa possibilidade “pode auxiliar o profissional onde quer que ele esteja, pois o aplicativo consegue analisar e processar várias imagens ao mesmo tempo e dar a resposta em poucos minutos.”
 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Um aplicativo criado por pesquisadores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) da USP e do Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto é capaz de identificar se um paciente está infectado com covid-19. O resultado é obtido a partir de uma simples radiografia de pulmão. Além disso, a ferramenta pode ser utilizada na triagem de pacientes com suspeita da doença, já que permite a análise de várias imagens ao mesmo tempo.

Na primeira etapa de criação do dispositivo, os pesquisadores analisaram 3.500 imagens, sendo duas mil de pacientes com covid-19; quinhentas de pacientes com tuberculose e mil de pessoas sem nenhuma doença. A pesquisadora Paula Cristina dos Santos, afirma que, após o agrupamento das imagens, já foi possível detectar as diferenças entre os pulmões afetados pela covid-19 e dos afetados pela tuberculose.

Segundo Paula, o projeto ainda precisa passar por ajustes, mas, o aplicativo, apresenta uma assertividade de 93% a 98% no diagnóstico de pacientes com a covid-19. Os pesquisadores envolvidos na criação do dispositivo afirmam que outro fator que chamou atenção foi a confirmação do aumento na densidade do pulmão dos pacientes com a doença causada pelo novo coronavírus, que fica com “o aspecto de branco jateado, chamado na medicina de ‘vidro fosco’.

Uma das vantagens do aplicativo apontada pelo grupo é o fato de o médico poder enviar pelo celular várias imagens para triagem e diagnóstico, ou somente uma imagem para diagnóstico. A professora Geraldine Bosco garante que essa possibilidade “pode auxiliar o profissional onde quer que ele esteja, pois o aplicativo consegue analisar e processar várias imagens ao mesmo tempo e dar a resposta em poucos minutos.”

Reportagem, Marquezan Araújo