Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Sergipe precisa de doadores de sangue e medula óssea

Devido à pandemia, estoques de sangue tipo O negativo e A negativo estão baixos. Estado também reforça a importância da doação de medula óssea


O Centro de Hemoterapia de Sergipe, o Hemose, registrou queda no número de doadores de sangue tipo O negativo e A negativo. Apesar da média de 80 doações de sangue por dia, estoques continuam em estado de alerta. A redução também foi observada nas doações de medula óssea. É o que aponta a gerente de coleta do Hemose, Dra. Florita Aquino.

“A pandemia realmente foi um fator que dificultou a doação. Tanto por conta dos protocolos, porque nós reduzimos o número de atendimento para evitar as aglomerações e também por conta dos doadores terem adquirido a própria Covid. O sangue RH negativo é o mais procurado, é o que continua mais difícil”, explicou.

A hemorrede do estado possui dois grandes centros de doação de sangue: o Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe, de gestão particular; e o Hemose, em Aracaju, que integra a rede da Secretaria de Estado de Saúde. 

Além da doação de sangue, o Hemose também realiza cadastro voluntário para doação de medula óssea. Para facilitar a doação, o instituto indica que os voluntários entrem em contato pelo número (79) 3225-8000. Após a pré-triagem, é preciso ir ao hemocentro mais próximo, fazer uma pequena coleta de sangue para verificar o tipo sanguíneo e a provável compatibilidade com algum paciente. 

Logo depois, o cadastro é repassado para o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), do Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão nacional responsável pelo gerenciamento das informações do doador e do paciente. Caso haja compatibilidade, o Redome entrará em contato com o doador para retirada das células.

Coordenação estadual

O Hemose está localizado em Aracaju, Centro Administrativo Governador Augusto Franco, Bairro Capucho, ao lado do Hospital de Urgência de Sergipe. Segundo a gerente de coleta do Hemose, Florita Aquino, o hemocentro coordenador é responsável pelo abastecimento da maioria das unidades hospitalares, sejam elas da rede pública ou privada. Grande parte das doações de sangue e medula óssea coletadas no instituto são destinados ao Hospital de Urgência de Sergipe, para a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, e Hospitais Regionais dos municípios de Nossa Senhora do Socorro, Lagarto e Itabaiana.

“A doação é um serviço essencial para a manutenção do tratamento de diversas patologias, como anemia falciforme, cirurgias eletivas ou de traumas com grande perda de sangue”, ressaltou.

Com sede em Aracaju, o Hemose é de fácil acesso aos moradores de municípios vizinhos, tais como Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão. Para agendar a sua doação de sangue ou fazer o cadastro para doar medula óssea, disque (79) 3225-8000 ou envie uma mensagem para o WhatsApp (79) 9.9191-2977.

Hemocentros regionais

Outra frente importante para a coleta de doação de sangue é o Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe, de gestão particular. A instituição possui unidades que atendem toda a região do Agreste de Lagarto e do Leste Sergipano.

A unidade José Dantas Oliveira, por exemplo, localizada na Praça Filomeno Hora, no Centro, abrange os moradores dos municípios de Lagarto e Riachão do Dantas. Para agendar a sua doação de sangue, disque (79) 3013-1115.

Já a unidade Posto Central, localizada na rua Guilhermino Rezende, bairro São José, atende os doadores dos municípios de Aracaju, Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão. Para agendar a sua doação de sangue na unidade, disque (79) 3302-7621.

Braço solidário

Para Carlos Rezende, comerciante de 43 anos, doar medula óssea representa uma esperança de vida. O morador do bairro Siqueira Campos, em Aracaju, começou a doar sangue aos 33 anos e hoje aguarda a oportunidade de encontrar um paciente compatível para doar a medula. 

“Eu já sou doador de sangue fidelizado há dez anos. Ainda não doei porque não apareceu algum paciente compatível para receber minha doação. Mas sei que é muito importante pois pode ser a única esperança de cura para quem está precisando. A doação de medula, assim como a de sangue, é um gesto de amor que salva vidas”, observa.

FOTO: Arquivo Pessoal / Carlos Rezende doando sangue no Hemose.

Doação de sangue

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, garante que doar sangue e medula óssea é um ato de amor que pode salvar muitas vidas, “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa” afirmou.

E quem vacinou contra a Covid-19 pode doar sangue?

Após a vacinação, é preciso aguardar um período para poder doar sangue e medula, de acordo com o tipo de vacina, conforme quadro abaixo: 

Laboratório

Inaptidão para doação de sangue

Coronavac

48 horas

Astrazeneca/Oxford/Fiocruz

7 dias

BioNTech/Fosun Pharma/Pfizer

7 dias 

Janssen-Cilag

7 dias

Gamaleya National Center

7 dias 

 Fonte: Ministério da Saúde

Onde doar sangue e medula óssea em Sergipe

Em Sergipe existem dois grandes centros de doação de sangue: o Hemose - Centro de Hemoterapia de Sergipe, e o Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe (IHHS). Procure o hemocentro ou a unidade de coleta mais próximo de sua região e faça a sua doação de sangue e medula óssea*.

Para doar sangue no Hemose, agende a sua doação pelo WhatsApp (79) 9.9191-2977.

* O estado de Sergipe não possui uma unidade de coleta exclusiva para doação de medula óssea. Para isso, é preciso entrar em contato com o Hemose pelo e-mail ssocial@fsph.se.gov.br ou pelo telefone (79) 3225-8000. Demais dúvidas devem ser tiradas no portal do Redome.

Critérios para doação de sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.
 
Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.
 
Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.
 
Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse o portal do Redome.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Centro de Hemoterapia de Sergipe, o Hemose, registrou queda no número de doadores de sangue tipo O negativo e A negativo. A redução também foi observada nas doações de medula óssea. O instituto acredita que a pandemia contribuiu para a queda no número de doações. 

A hemorrede do estado possui dois grandes centros de doação de sangue: o Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe, de gestão particular; e o Hemose, em Aracaju, que integra a rede da Secretaria de Estado de Saúde. 

Além da doação de sangue, o Hemose também realiza cadastro voluntário para doação de medula óssea. Mas, com a pandemia, muitos doadores deixaram de procurar os hemocentros. É o que aponta a gerente de coleta do Hemose, Dra. Florita Aquino.

TEC./SONORA: Florita Aquino, gerente de coleta do Hemose

“A pandemia realmente foi um fator que dificultou a doação. Tanto por conta dos protocolos, porque nós reduzimos o número de atendimento, para evitar as aglomerações e também por conta dos doadores terem adquirido a própria Covid. A doação é um serviço essencial para a manutenção do tratamento de diversas patologias, como anemia falciforme, cirurgias eletivas ou de traumas com grande perda de sangue. O sangue RH negativo é o mais procurado, é o que continua mais difícil.”

LOC.: O Hemose é responsável pelo abastecimento da maioria das unidades hospitalares, sejam elas da rede pública ou privada. Grande parte das doações de sangue e medula óssea coletadas no instituto são destinados ao Hospital de Urgência de Sergipe, para a Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, e Hospitais Regionais dos municípios de Nossa Senhora do Socorro, Lagarto e Itabaiana.

Com sede em Aracaju, o Hemose é de fácil acesso aos moradores de municípios vizinhos, tais como Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão. Para agendar a sua doação de sangue ou fazer o cadastro para doar medula óssea, disque (79) 3225-8000.

Foi assim que o comerciante Carlos Rezende, de 43 anos, fez o cadastro para doação de medula óssea. O morador do bairro Siqueira Campos, em Aracaju, começou a doar sangue aos 33 anos e hoje aguarda a oportunidade de encontrar um paciente compatível para doar a medula. Para Carlos Rezende, doar medula óssea representa uma esperança de vida.

TEC./SONORA: Carlos Rezende, comerciante

“Eu já sou doador de sangue fidelizado há dez anos. Em uma das doações de sangue, passando pela triagem, me perguntaram se eu gostaria de fazer o cadastro para a doação de medula óssea e eu aceitei. Ainda não doei porque não apareceu algum paciente compatível para receber minha doação. É muito importante pois pode ser a única esperança de cura para quem está precisando. A doação de medula, assim como a de sangue, é um gesto de amor que salva vidas.”

LOC: Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea em Sergipe, disque (79) 3225-8000.
 
Reportagem: Luiza Aldser