Foto: Divulgação/Prefeitura de Jundiaí
Foto: Divulgação/Prefeitura de Jundiaí

São Paulo faz alerta contra a febre maculosa, a doença transmitida pelo carrapato

No estado, foram confirmados 12 casos da doença neste ano


A Secretaria  da Saúde de São Paulo alerta  às pessoas que estiveram na Fazenda Santa Margarida, em Campinas, entre 27 de maio e 11 de junho, que se apresentarem febre, dor pelo corpo, dor de cabeça ou manchas avermelhadas, devem procurar atendimento médico imediatamente e informar que estiveram na região.

Pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz, Elba Regina explica que o tratamento rápido é essencial para evitar a evolução da doença.

“É uma doença que se não for identificada precocemente, no tempo certo para iniciar o tratamento, o paciente pode evoluir para óbito. Ele vai morrer, porque a bactéria destrói toda a parede do vaso”, explicou. 

Até o momento, dos 12 casos confirmados da doença este ano, três foram de pessoas que participaram de eventos na fazenda. Portanto, é importante que todos que estiveram na Fazenda Santa Margarida fiquem atentos aos sintomas e informem aos médicos. Essas informações são cruciais para um tratamento precoce e para evitar o agravamento da doença.

A febre maculosa, também conhecida como "doença do carrapato", é uma infecção febril de gravidade variável, com uma alta taxa de letalidade. Ela é causada por uma bactéria chamada Rickettsia, transmitida pela picada de carrapatos. Entre junho e novembro, há uma alta infestação de carrapatos-estrela (o ciclo de vida do carrapato inclui as fases de ovo, larva, ninfa e adulto).

Além da fazenda onde ocorreram os eventos, as regiões de Campinas, Piracicaba, Assis e Sorocaba têm maior frequência de casos da doença. O período de incubação da febre maculosa é de 2 a 14 dias. Então é importante considerar as exposições ocorridas nos últimos 15 dias antes do início dos sintomas.

É importante estar ciente de que estamos no período de reprodução do carrapato estrela ao visitar regiões de mata e cachoeira, havendo risco de transmissão da febre maculosa por meio de suas picadas. Caso apresente sintomas nos 15 dias seguintes a essa exposição, é fundamental procurar atendimento médico o mais rápido possível, conforme orientação da diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, Tatiana Lang.

Embora a febre maculosa seja uma doença grave e com alta letalidade, é possível reduzir significativamente o risco de contraí-la. Verificar regularmente se há carrapatos no corpo, usar roupas claras com mangas longas, calças compridas e calçados fechados são algumas medidas eficazes de proteção contra carrapatos transmissores.


 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo está fazendo um alerta para as pessoas que estiveram na Fazenda Santa Margarida, em Campinas, entre 27 de maio e 11 de junho. Se essas pessoas apresentarem febre, dor pelo corpo, dor de cabeça ou manchas avermelhadas pelo corpo, devem procurar atendimento médico imediatamente e informar que estiveram na região.

Pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz, Elba Regina explica que o tratamento rápido é essencial para evitar a evolução da doença.

TEC/SONORA: Elba Regina - Pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz

“É uma doença que se não for identificada precocemente, no tempo certo para iniciar o tratamento, o paciente pode evoluir para óbito. Ele vai morrer, porque a bactéria destrói toda a parede do vaso”.


LOC.: Até o momento, houve 12 casos confirmados da doença este ano. Três foram de pessoas que participaram de eventos na fazenda. Além da fazenda onde ocorreram os eventos, as regiões de Campinas, Piracicaba, Assis e Sorocaba têm maior frequência de casos da doença. O período de incubação da febre maculosa é de 2 a 14 dias. Então é importante considerar as exposições aos riscos da contaminação ocorridas nos últimos 15 dias, antes do início dos sintomas.

Reportagem, Daniela Gomes