Foto: David Alves / Ag.Pará
Foto: David Alves / Ag.Pará

Pará: municípios registraram queda de 18,05% nos casos de dengue

De acordo com dados da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa), de janeiro a 11 de agosto de 2023, o estado confirmou 3.391 casos da doença, enquanto no mesmo intervalo de 2022, foram registrados 4.138 casos


Municípios paraenses registraram queda de 18,05% nos casos de dengue em comparação ao ano passado. De acordo com dados da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa), de janeiro a 11 de agosto de 2023, o estado confirmou 3.391 casos da doença, enquanto no mesmo intervalo de 2022, foram registrados 4.138 casos.

Segundo a coordenadora de arboviroses da Sespa, Aline Carneiro, os municípios com maior número de casos são Parauapebas, Belém, Altamira, Afuá e Vitória do Xingu. Aline avalia que o incentivo aos municípios para trabalharem com salas de situação para as arboviroses foi um dos motivos dessa redução.

“Mas pós-pandemia nós ainda estamos percebendo um número reduzido de notificações e suspeitas de casos e isso pode refletir também nos números”, explica. 

A coordenadora orienta a população que faça semanalmente a verificação de possíveis focos de mosquitos transmissores do vírus para que a proliferação do mosquito seja cortada, uma vez que a visita dos agentes de endemias é programada para acontecer uma vez a cada dois meses.

“Essa verificação demora em torno de 10 minutos e você vê o quê? Caixa d'água, ralos, calhas, lavar o vasilhame do bicho doméstico com a escovinha, passando na parede, não só trocando a água, colocar o lixo doméstico fora da casa, o horário mais próximo da coleta e ele estar adequadamente embalado, se tiver reservamento de água em casa, se certificar se ele está tampado ou coberto”, aconselha. 

A Sespa monitora os 144 municípios que foram beneficiados com o apoio financeiro do Ministério da Saúde para as ações de vigilância, prevenção e controle da dengue. Além disso, fornece às prefeituras inseticidas, tanto larvicidas quanto adulticidas, para o combate ao mosquito. A secretaria também realiza visitas técnicas para orientar as ações do programa contra a dengue e promove treinamentos sobre febre chikungunya e zika vírus.
 

Veja Mais:

PA: pelo menos 600 pescadores deverão ser beneficiados com seguro-defeso
MIDR promove oficina para fortalecer a Rota do Cacau no estado do Pará
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.:  Municípios paraenses registraram queda de 18,05% nos casos de dengue em comparação ao ano passado. De acordo com dados da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa), de janeiro a 11 de agosto de 2023, o estado confirmou 3.391 casos da doença, enquanto no mesmo intervalo de 2022 foram registrados 4.138 casos.

Segundo a coordenadora de arboviroses da Sespa, Aline Carneiro, os municípios com maior número de casos são Parauapebas, Belém, Altamira, Afuá e Vitória do Xingu. Aline avalia que o incentivo aos municípios em trabalharem com salas de situação para as arboviroses foi um dos motivos dessa redução.
 

TEC./SONORA: Aline Carneiro - coordenadora de arboviroses da Sespa

“Mas pós-pandemia nós ainda estamos percebendo um número reduzido de notificações e suspeitas de casos e isso pode refletir também nos números.”
 


LOC.: A coordenadora orienta a população que faça semanalmente a verificação de possíveis focos de mosquitos transmissores do vírus para que a proliferação do mosquito seja cortada, uma vez que a visita dos agentes de endemias é programada para acontecer uma vez a cada dois meses.
 

TEC./SONORA: Aline Carneiro - coordenadora de arboviroses da Sespa

“Essa verificação demora em torno de 10 minutos e você vê o quê? Caixa d'água, ralos, calhas, lavar o vasilhame do bicho doméstico com a escovinha, passando na parede, não só trocando a água, colocar o lixo doméstico fora da casa, o horário mais próximo da coleta e ele estar adequadamente embalado, se tiver reservamento de água em casa, se certificar se ele está tampado ou coberto.”
 


LOC.: A Sespa monitora os 144 municípios que foram beneficiados com o apoio financeiro do Ministério da Saúde para as ações de vigilância, prevenção e controle da dengue. Além disso, fornece às prefeituras inseticidas, tanto larvicidas quanto adulticidas, para o combate ao mosquito. A secretaria também realiza visitas técnicas para orientar as ações do programa contra a dengue e promove treinamentos sobre febre chikungunya e zika vírus.

Reportagem, Sophia Stein