Foto: José Paulo Lacerda/CNI
Foto: José Paulo Lacerda/CNI

Indústria registra alta de 2,2% no faturamento em março, diz CNI

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, crescimento é ainda maior, ultrapassando os 12,5%


O faturamento das indústrias registrou alta de 2,2% em março, de acordo com a pesquisa Indicadores Industriais, publicada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O bom resultado ocorreu após queda de 3,6% em fevereiro, quando a atividade industrial sentiu os impactos da segunda onda da pandemia da Covid-19. 

Na comparação com março de 2020, houve alta no faturamento de 12,7%, segundo a CNI. No entanto, a esta altura no ano passado, o desempenho da atividade industrial foi influenciado pelo início da pandemia. 

Selic deve fechar o ano em 5,50%, de acordo com o mercado financeiro

Balança comercial tem melhor saldo da história e bate recorde de exportações

O levantamento mostra que houve alta, também, de 0,9% no número de horas trabalhadas em março, revertendo a queda de 0,5% em fevereiro. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o acréscimo foi de 10,7%. Outro indicador importante, a utilização da capacidade instalada, chegou a 81,1%, crescendo 0,4% em comparação a fevereiro. 

Entre todos os indicadores analisados, apenas um mantém tendência de alta nos últimos oito meses: Trata-se do emprego industrial, que voltou a crescer em março: 0,3% em relação ao mês anterior. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O faturamento das indústrias registrou alta de 2,2% em março, de acordo com a pesquisa Indicadores Industriais, publicada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O bom resultado ocorreu após queda de 3,6% em fevereiro, quando a atividade industrial sentiu os impactos da segunda onda da pandemia da Covid-19. 

Na comparação com março de 2020, houve alta no faturamento de 12,7%, segundo a CNI. No entanto, a esta altura no ano passado, o desempenho da atividade industrial foi influenciado pelo início da pandemia. 

O levantamento mostra que houve alta, também, de 0,9% no número de horas trabalhadas em março, revertendo a queda de 0,5% em fevereiro. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o acréscimo foi de 10,7%. Outro indicador importante, a utilização da capacidade instalada, chegou a 81,1%, crescendo 0,4% em comparação a fevereiro. 

Entre todos os indicadores analisados, apenas um mantém tendência de alta nos últimos oito meses: Trata-se do emprego industrial, que voltou a crescer em março: 0,3% em relação ao mês anterior. 

Reportagem, Felipe Moura.