Foto: Bernardo Dias/CMBH
Foto: Bernardo Dias/CMBH

Estados apresentam planos de mineração em evento do setor

Representantes de vários estados participaram do 8º Encontro Nacional de Média e Pequena Mineração e falaram sobre o setor em seus territórios


Representantes de vários estados brasileiros marcaram presença no 8º Encontro Nacional de Média e Pequena  Mineração. No último painel do evento, representantes estaduais apresentaram seus planos de mineração. 

Estado pioneiro, o Pará lançou o documento em 2014. A coordenadora de geologia e mineração da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará, Poliana Gualberto, explicou sobre o processo de criação do documento. “Ele foi elaborado a partir de 13 oficinas onde se ouviu os formadores de opinião de cada cadeia produtiva mineral no território onde eles estavam, isso foi muito importante para depois a implementação das políticas públicas”, contou.

Em Minas Gerais, o documento está em elaboração. O superintendente de Política Minerária, Energética e Logística na Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Pedro Sena, explica que o objetivo é que a construção do material seja um espaço plural. “Ele é um instrumento articulador, vai trazer ali várias partes para poder conversar para a gente depois, como gestores públicos, a gente conseguir pensar políticas públicas para a cadeia produtiva do setor mineral. É um plano que vai dialogar com a sociedade, ela dialoga com o mercado, ela dialoga com as instituições, de forma que ele vai dar essas diretrizes ao seu fim”, contextualizou.

Além do caráter agregador, os planos estaduais também têm um importante papel na construção de políticas públicas ao setor, como ressaltou a superintendente de mineração do estado de Goiás, Lívia Parreira. “É para isso que estamos construindo o plano, para definir ao final programas de governo regionais, então vamos olhar para a localidade, o que a localidade precisa, o que o governo pode fazer, o que o setor mineral precisa, e transformar em programa, e aí incentivos, fomento com informação, apoio institucional e  por aí vai”, destacou.

Também participaram do último painel do 8º Encontro Nacional de Média e Pequena Mineração representantes da Bahia, Mato Grosso e Rio Grande do Sul

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Representantes de vários estados brasileiros marcaram presença no 8º Encontro Nacional de Média e Pequena  Mineração. No último painel do evento, representantes estaduais apresentaram seus planos de mineração, em Goiânia.

Estado pioneiro, o Pará lançou o documento em 2014. A coordenadora de geologia e mineração da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará, Poliana Gualberto, explicou o processo de criação do documento. 

TEC./SONORA: coordenadora de geologia e mineração da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará, Poliana Gualberto
“Ele foi elaborado a partir de 13 oficinas onde se ouviu os formadores de opinião de cada cadeia produtiva mineral no território onde eles estavam, isso foi muito importante para depois a implementação das políticas públicas.”


LOC.: Em Minas Gerais, o documento está em elaboração. O superintendente de Política Minerária, Energética e Logística na Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Pedro Sena, explica que o objetivo é que a construção do material seja um espaço plural. 

TEC./SONORA: superintendente de Política Minerária, Energética e Logística na Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Pedro Sena
“Ele é um instrumento articulador, vai trazer ali várias partes para poder conversar para a gente depois, como gestores públicos, a gente conseguir pensar políticas públicas para a cadeia produtiva do setor mineral. É um plano que vai dialogar com a sociedade, ela dialoga com o mercado, ela dialoga com as instituições, de forma que ele vai dar essas diretrizes ao seu fim.”


LOC.: Além do caráter agregador, os planos estaduais também têm um importante papel na construção de políticas públicas ao setor, como ressaltou a superintendente de mineração do estado de Goiás, Lívia Parreira. 

TEC./SONORA: superintendente de mineração do estado de Goiás, Lívia Parreira
“É para isso que estamos construindo o plano, para definir ao final programas de governo regionais, então vamos olhar para a localidade, o que a localidade precisa, o que o governo pode fazer, o que o setor mineral precisa, e transformar em programa, e aí incentivos, fomento com informação, apoio institucional e  por aí vai.”


LOC.: Também participaram do último painel do 8º Encontro Nacional de Média e Pequena Mineração representantes da Bahia, Mato Grosso e Rio Grande do Sul.

Reportagem, Janine Gaspar