Foto: Pexels/Engin Akyurt
Foto: Pexels/Engin Akyurt

Entenda por que leite e derivados estão ficando mais baratos

Queijo, manteiga, iogurte e outros derivados registram deflação e podem voltar para a mesa dos brasileiros


Depois de acumular 60% de aumento em um ano, o preço do leite de vaca começou a cair. O leite e seus derivados se tornaram vilões da inflação dos alimentos, já que alavancaram os preços de produtos frequentes na mesa do consumidor, como queijo, manteiga e iogurtes. A boa notícia é que o movimento de alta já chegou ao fim. Para o analista da Embrapa, José Luiz Bellini, uma das razões para a queda nos preços é a maior oferta do produto dentro do país. 

“Através do início da safra e com as chuvas, o aumento da oferta de leite está acontecendo. Também houve um aumento das importações. E nós tivemos uma redução em custos, tanto de produção, quanto de logísticas”, esclarece.  

O impacto da inflação sobre o preço do leite e derivados tem vários motivos. O principal deles foi a queda na oferta dos produtos, causada pela entressafra que ocorre todos os anos, nos meses de outono e inverno. Entre março e agosto, há menos pasto para o rebanho, o que faz cair a produção de leite. Mas neste ano a produção retrocedeu além do normal. A guerra da Ucrânia, os altos preços dos combustíveis e a desorganização das cadeias produtivas no mundo todo contribuíram para esse aumento.

“Com essa questão da redução da oferta e a redução das importações no primeiro semestre, nós tivemos uma baixa disponibilidade que também ajudou a puxar os preços dos produtos lácteos como também da própria matéria prima”, explica Bellini. 

Os preços começaram a apresentar estabilidade na primeira quinzena de setembro. Em outubro, com a maior produção nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a queda nos preços deve ser sentida nas prateleiras dos supermercados. 

Reportagem, Lívia Braz 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Depois de acumular 60% de aumento em um ano, o preço do leite de vaca começou a cair. Leite e derivados se tornaram vilões da inflação dos alimentos. Alavancaram os preços de produtos frequentes na mesa do consumidor, como queijo, manteiga e iogurtes. A boa notícia é que o movimento de alta já chegou ao fim. O analista da Embrapa, José Luiz Bellini, explica o que motivou a redução nos preços. 

TEC./SONORA:
“O que efetivamente traz a deflação é que passa a ter mais disponibilidade interna. Através do início da safra, nós temos uma boa safra começando no Rio Grande do Sul. E com as chuvas o aumento da oferta de leite está acontecendo. Também houve um aumento das importações. E nós tivemos uma redução em custos, tanto de produção, quanto de logísticas. ” 
 


LOC.: O impacto da inflação sobre o preço do leite e derivados tem vários motivos. O principal deles foi a queda na oferta dos produtos, fenômeno causado pela entressafra anual nos meses de outono e inverno. Entre março e agosto, há menos pasto para o rebanho, o que faz cair a produção de leite. Mas neste ano, retrocedeu além do normal. A guerra da Ucrânia, os altos preços dos combustíveis e a desorganização das cadeias produtivas no mundo todo, contribuíram para esse aumento.
 

TEC./SONORA:
“Com essa questão da redução da oferta e a redução das importações no primeiro semestre, nós tivemos uma baixa disponibilidade que também ajudou a puxar os preços dos produtos lácteos como também da própria matéria prima.” 
 


LOC.: Na primeira quinzena de setembro os preços começaram a apresentar estabilidade e em outubro, com a maior produção nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a queda deve ser sentida nas prateleiras dos supermercados. 

Reportagem, Lívia Braz