Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Dia dos Namorados: comércio varejista pode movimentar R$ 2,59 bi

O volume apresentaria crescimento de 5,6% em relação à data de 2023, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Confira dicas de presentes


O Dia dos Namorados é a sexta data comemorativa mais importante do varejo no Brasil em relação à movimentação financeira. Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê que o comércio varejista movimente R$ 2,59 bilhões de vendas em 2024. Caso a expectativa se confirme, o volume apresentaria um crescimento de 5,6% em relação à data de 2023.

A pesquisa aponta que o segmento de vestuário, calçados e acessórios está em destaque nas vendas na data, que deverá movimentar R$ 1,083 bi. O ramo tende a apresentar aumento real de 6,7% em comparação a 2023, que teve R$ 1,01 bi movimentados.

Já o segmento de utilidades domésticas e eletroeletrônicos também deve alcançar vendas expressivas com relação às vendas totais, com estimativa de R$ 727 milhões ou 28%. O montante avança 3,2% no comparativo anual. Já as vendas de itens de farmácias, perfumarias e cosméticos tendem a avançar pouco (1,6%) e devem responder por pouco mais de 10% de toda a movimentação financeira esperada pelo setor de varejo.

O economista André Galhardo explica os motivos que sustentam uma melhora não só do Dia dos Namorados, mas em diferentes aspectos do comércio brasileiro.

  • redução da taxa de juros do país;
  • melhora no mercado de trabalho, com mais pessoas trabalhando e volume maior de consumo;
  • redução relativa da inflação.

"Não é que a gente esteja num ambiente deflacionário, com queda nos preços, mas a gente tem um avanço mais sutil dos preços. Com a inflação relativamente menor sobra um espaço um pouco maior dentro do orçamento familiar para que as famílias possam consumir outros bens além daqueles de primeira necessidade", frisa André Galhardo.

Segundo o economista, a expectativa é para um bom cenário no comércio brasileiro ao longo de todo o segundo trimestre em função dos três elementos citados acima.

A pesquisa demonstra que parte da expectativa de avanço das vendas em uma data comemorativa pode ser atrelada ao comportamento recente do mercado de crédito, como a redução no comprometimento da renda das famílias, que atualmente está próximo a 30% – sendo no menor patamar em três anos –, bem como da redução dos juros das operações de crédito.

Presentes

A data comemora o amor e nada melhor do que adoçar a vida do companheiro ou companheira com chocolate. É o caso de Darlene Alves, 34 anos, profissional de recursos humanos, moradora de Arapoanga no Distrito Federal. Ela é casada, mas sempre agrada o parceiro com chocolates no Dia dos Namorados. "Eu sempre compro presente nessa data. Acho importante comemorar. Este ano ainda não comprei o presente, mas pretendo comprar. Geralmente eu compro algum chocolate", conta.

Para quem prefere presentear de outra forma, a empresária Jacqueline Ferreira, 31 anos, proprietária da Já Que Amou Maquiagens – com lojas localizadas em três regiões administrativas do Distrito Federal  (Asa Norte, Núcleo Bandeirante e Taguatinga Sul), que presta curadoria na hora de escolher maquiagens nacionais, elenca dicas de como escolher produtos de beleza para presentear no Dia dos Namorados:

  • Vá a lugares especializados com a foto da pessoa amada para identificar gostos e hábitos. Exemplos: se a pessoa faz uso de cílios postiços e cor de batom;
  • Evite produtos específicos sobre tons de pele. Exemplos: bases, pós e corretivos. Se quiser arriscar, pós translúcidos soltos para peles claras de pós-bananas soltos para peles escuras;
  • Produtos de cuidado e preparação de pele também são uma boa escolha;
  • Coleções de maquiagens que têm a ver com o estilo da pessoa amada, como os gostos e hobbies;
  • Perfumes importados. "Para quem diz que quando acaba o perfume, acaba o amor, é só repor o estoque", brinca Jacqueline.

Propaganda

Uma pesquisa da Tunad, plataforma de Inteligência de Mídia, mostra aumento de pelo menos 10% nos investimentos em publicidade televisiva relacionados ao Dia dos Namorados em 2024. O levantamento considera as inserções publicitárias na televisão e as buscas realizadas por marcas no Google e abrange TV aberta de São Paulo e canais de TV paga.

O COO da Tunad, Ricardo Monteiro, destaca que a televisão é um caminho para compras online. Ele também menciona que os anúncios que mais aparecem no período da data comemorativa. 

"A televisão é um dos fatores geradores de demanda. É natural que a televisão, ela vá levar a um grande aumento do número de pessoas online buscando alguma coisa que elas viram e lhes interessou. Agora, normalmente, no Dia dos Namorados, o que que a gente vê, olhando pelo tipo de anúncio que foi colocado no ar, normalmente o que a gente mais vê é perfume, é chocolate, flores", diz.

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: O Dia dos Namorados de 2024 deve movimentar R$ 2,59 bilhões de vendas no comércio varejista brasileiro, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Caso a expectativa se confirme, o volume apresentaria um crescimento de 5,6% em relação à data de 2023.

Para o economista André Galhardo, a expectativa é para um bom cenário no comércio brasileiro ao longo de todo o segundo trimestre. Segundo ele, os motivos que sustentam uma melhora, não só do Dia dos Namorados, mas em diferentes aspectos do comércio brasileiro, são: a redução da taxa de juros do país, a melhora no mercado de trabalho e redução relativa da inflação.

TEC./SONORA: André Galhardo, economista

"Não é que a gente esteja num ambiente deflacionário, com queda nos preços, mas a gente tem um avanço mais sutil dos preços. Com a inflação relativamente menor sobra um espaço um pouco maior dentro do orçamento familiar para que as famílias possam consumir outros bens além daqueles de primeira necessidade."


LOC: A data comemora o amor e nada melhor do que adoçar a vida do companheiro ou companheira com chocolate. É o caso de Darlene Alves, 34 anos, profissional de recursos humanos, moradora de Arapoanga no Distrito Federal. Ela é casada, mas sempre agrada o parceiro com chocolates no Dia dos Namorados.

TEC./SONORA: Darlene Alves, moradora de Arapoanga, no Distrito Federal

"Eu sempre compro presente nessa data. Eu acho importante comemorar. Esse ano eu ainda não comprei, mas pretendo comprar. Geralmente eu compro algum chocolate."


LOC: A pesquisa sobre estimativas para o comércio varejista no Dia dos Namorados aponta, ainda, que o segmento de vestuário, calçados e acessórios, ficam com a maior fatia das vendas, que deverá movimentar pouco mais de R$ 1 bi. Já o segmento de utilidades domésticas e eletroeletrônicos também deve alcançar vendas expressivas com relação às vendas totais, com estimativa de R$ 727 milhões ou 28%.

Reportagem Bianca Mingote