Foto: Cristiano Machado/Imprensa MG
Foto: Cristiano Machado/Imprensa MG

MG: Baixa umidade relativa do ar prejudica lavouras e emite alerta à população

O mês de julho é marcado por baixa umidade do ar e tempo seco

ÚLTIMAS SOBRE MINAS GERAIS


A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) emitiu um alerta à população de Minas Gerais devido à baixa umidade relativa do ar prevista para os próximos dias. Essa diminuição é causada por uma massa de ar seco que afeta grande parte do estado.

A falta de umidade no ar pode causar diversos sintomas, como dor de cabeça, sangramento nasal, irritação e secura na garganta, sensação de areia nos olhos, ressecamento da pele, fadiga e desconforto ao respirar. A recomendação é evitar a prática de exercícios físicos entre 10h e 16h — e ainda manter a casa bem ventilada e aumentar o consumo de frutas e verduras. Outra alternativa é tornar o ambiente mais úmido.

Além disso, a baixa umidade pode prejudicar ainda os produtores rurais. A agricultura e todo o agronegócio em geral dependem das chuvas para regar e trazer vitalidade ao solo. Sem as chuvas, a qualidade do solo fica comprometida, impactando, assim, as produções agrícolas.

O consultor do safras e mercado, Evandro Oliveira explica que a baixa umidade faz com que as plantações demorem para para evoluir, o que acaba prejudicando o desenvolvimento sadio das safras. 

“Em épocas que a gente enfrenta baixa umidade e frio intenso, as culturas costumam ter um desenvolvimento lento. Então elas demoram para atingir a maturidade e isso vai retardar um pouco a evolução da cultura, e às vezes até vai livrá-las de algumas doenças. Algumas coisas que podem ser relativas a isso, porém  há necessidade de uma unidade  — então ela não pode se prolongar muito”, explicou o consultor. 

Ele ainda afirma que produtos como soja, milho e café são diretamente impactados pelo clima.
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) emitiu um alerta à população de Minas Gerais devido à baixa umidade relativa do ar prevista para os próximos dias. Essa diminuição é causada por uma massa de ar seco que afeta grande parte do estado. Além da população mineira, de acordo com o consultor do Safras e mercado, Evandro Oliveira explica que a baixa umidade faz com que as lavouras e plantações demorem para para evoluir — o que acaba prejudicando o desenvolvimento sadio das safras. 

TEC/SONORA: consultor do safras e mercado, Evandro Oliveira

“Em épocas que a gente baixa umidade e frio intenso, as culturas costumam ter um desenvolvimento lento. Então elas demoram para atingir a maturidade e isso vai retardar um pouco a evolução da cultura, e às vezes até vai livrar elas de algumas doenças, algumas coisas que podem ser relativas a isso, porém  há necessidade de de de uma unidade, então, ela não pode se prolongar muito".


LOC.: O consultor ainda afirma que produtos como soja, milho e café são diretamente impactados pelo clima.

Reportagem, Daniela Gomes