Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Crédito: Ministério da Saúde/divulgação

Um a cada quatro adultos são afetados por hipertensão no Brasil

A hipertensão arterial, ou “pressão alta” como é conhecida, afeta aproximadamente uma pessoa a cada quatro adultos no Brasil.


A hipertensão arterial, ou “pressão alta” como é conhecida, afeta aproximadamente uma pessoa a cada quatro adultos no Brasil. Isso acontece quando a pressão para bombear o sangue ultrapassa os limites médios e começa a exigir maior esforço do coração para realizar esse bombeamento. Essa complicação pode prejudicar o coração, os rins, os olhos e o cérebro. Apesar de gerar diversos problemas de saúde, a pressão alta pode ser combatida por meio de hábitos de vida mais saudáveis, como explica Eduardo Nilson, que é coordenador substituto de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde.

“Os principais fatores de risco para todas as doenças crônicas, incluindo a hipertensão, são a dieta inadequada que incluem nesse caso o sódio, gorduras e açúcar; a questão da atividade física, no caso o sedentarismo sendo grande fator de risco na atividade física; o tabagismo que tem também influencia na questão da pressão arterial e não só na questão de risco de câncer de pulmão e os cânceres; e por fim, o próprio consumo de álcool que também tem, além das doenças hepáticas, doença do fígado, tem também fator de risco para hipertensão arterial”.

Na rede de saúde pública, os pacientes com hipertensão são atendidos por equipes de saúde da família, e acordo com a gravidade da doença, por meio de consultas individuais com médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde da atenção básica e especializada. Além disso, o SUS oferece tratamento gratuitamente com medicamentos nas Unidades Básicas de Saúde e pelas mais de 31 mil unidades farmacêuticas credenciadas ao programa Farmácia Popular. 


 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

A hipertensão arterial, ou “pressão alta” como é conhecida, afeta aproximadamente uma pessoa a cada quatro adultos no Brasil. Isso acontece quando a pressão para bombear o sangue ultrapassa os limites médios e começa a exigir maior esforço do coração para realizar esse bombeamento. Essa complicação pode prejudicar o coração, os rins, os olhos e o cérebro. Apesar de gerar diversos problemas de saúde, a pressão alta pode ser combatida por meio de hábitos de vida mais saudáveis, como explica Eduardo Nilson, que é coordenador substituto de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde.

“Os principais fatores de risco para todas as doenças crônicas, incluindo a hipertensão, são a dieta inadequada que incluem nesse caso o sódio, gorduras e açúcar; a questão da atividade física, no caso o sedentarismo sendo grande fator de risco na atividade física; o tabagismo que tem também influencia na questão da pressão arterial e não só na questão de risco de câncer de pulmão e os cânceres; e por fim, o próprio consumo de álcool que também tem, além das doenças hepáticas, doença do fígado, tem também fator de risco para hipertensão arterial”.

Na rede de saúde pública, os pacientes com hipertensão são atendidos por equipes de saúde da família, e acordo com a gravidade da doença, por meio de consultas individuais com médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde da atenção básica e especializada. Além disso, o SUS oferece tratamento gratuitamente com medicamentos nas Unidades Básicas de Saúde e pelas mais de 31 mil unidades farmacêuticas credenciadas ao programa Farmácia Popular.