Foto: Arquivo/EBC
Foto: Arquivo/EBC

SP: 530 mil profissionais da Educação e forças de Segurança Pública serão vacinados contra Covid-19

No dia 12, serão incluídos na campanha 350 mil professores e demais funcionários de escolas estaduais, municipais e particulares com idade a partir de 47 anos


Cerca de 530 mil profissionais da Educação e de forças da Segurança Pública devem tomar a vacina contra a Covid-19, em São Paulo. A imunização desses trabalhadores deve começar na primeira quinzena de abril. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (24) pelo governador do estado, João Doria.

A partir do dia 5 de abril, 180 mil policiais civis, militares e técnicos-científicos, agentes penitenciários, bombeiros e guardas civis metropolitanos começam a tomar a vacina.

Medicações para intubação estão em falta e nova crise preocupa saúde

Lockdown e toque de recolher: inconstitucional ou não?

No dia 12, serão incluídos na campanha 350 mil professores e demais funcionários de escolas estaduais, municipais e particulares com idade a partir de 47 anos. Para profissionais da rede privada, haverá apresentação obrigatória dos dois últimos contracheques para evitar fraudes na vacinação.

O público-alvo desta iniciativa corresponde a aproximadamente 40% de todos os profissionais da educação básica em São Paulo. Inicialmente, o governo local tem como objetivo imunizar profissionais com idade cuja incidência de casos moderados e graves da Covid-19 é mais alta.

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Cerca de 530 mil profissionais da Educação e de forças da Segurança Pública devem tomar a vacina contra a Covid-19, em São Paulo. A imunização desses trabalhadores deve começar na primeira quinzena de abril. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (24) pelo governador do estado, João Doria.

A partir do dia 5 de abril, 180 mil policiais civis, militares e técnicos-científicos, agentes penitenciários, bombeiros e guardas civis metropolitanos começam a tomar a vacina.

No dia 12, serão incluídos na campanha 350 mil professores e demais funcionários de escolas estaduais, municipais e particulares com idade a partir de 47 anos. Para profissionais da rede privada, haverá apresentação obrigatória dos dois últimos contracheques para evitar fraudes na vacinação.

O público-alvo desta iniciativa corresponde a aproximadamente 40% de todos os profissionais da educação básica em São Paulo. Inicialmente, o governo local tem como objetivo imunizar profissionais com idade cuja incidência de casos moderados e graves da Covid-19 é mais alta.

Reportagem, Marquezan Araújo