MARANHÃO (MA): Acúmulo de lixo nas ruas complica combate ao mosquito da Chikungunya em municípios no Sudoeste do estado

Salvar imagem

LOC:. Lixos acumulados nas ruas se tornam potenciais criadouros do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya em municípios do Maranhão. O problema já é conhecido pela Secretaria Estadual de Saúde. Joseneide Silva, coordenadora estadual de combate a vetores, afirma que falta uma sensibilidade de gestores municipais, no que diz respeito ao manejo e descarte do lixo nas cidades maranhenses.

TEC./SONORA: Joseneide Silva, coordenadora estadual de combate a vetores

“Tem que falar, para mim é importantíssimo. E também a questão da sensibilização dos gestores com lixos nas ruas, que formam criadouros. O pessoal joga tudo, de vaso sanitário a sofá, e acaba se tornando potenciais criadouros. Tem que ter coleta de lixo regular, tem que ter a sensibilização da população para colocar o lixo apenas no dia da coleta. Passa realmente por todas essas questões.”

LOC.: Em Balsas, cidade localizada a 800 quilômetros da capital São Luís, e 209 km de Carolina, a situação era tão ruim que algumas ruas ficavam intransitáveis por conta da quantidade de lixo acumulada. Por conta dessa situação, a secretária de Saúde do município, Érina Ferreira, conta que foi feita uma parceria com empresários da cidade, no início do ano, para que um mutirão de limpeza no município fosse realizado, a fim de evitar criadouros do mosquito.

TEC./SONORA: Érina Ferreira, secretária de Saúde de Balsas-MA
“Pedimos ajuda aos empresários da cidade, e eles fizeram um mutirão de limpeza. Um doava caminhão, outro caçamba, outro óleo, outro contratava o pessoal, e assim foi feita uma limpeza intensificada. A partir de agora, que a gente já conseguiu fazer contratação dos caminhões de limpeza, a gente vai fazer a manutenção, e tratar mais com os lixos residenciais.”

LOC.: O Maranhão enfrenta um período intenso de chuvas, e o lixo na rua ajuda a acumular água, situação perfeita para proliferação do mosquito que transmite Dengue, Zika e Chikungunya. É importante lembrar que a Chikungunya é uma doença com alta possibilidade de se tornar crônica, com capacidade de manifestar dores e inchaço em articulações por mais de seis meses, comprometendo o movimento de mãos, braços, pés e pernas. No entanto, os cuidados devem permanecer para que não ocorram epidemias de Zika e Dengue, evitando água parada e, consequentemente, a proliferação do mosquito transmissor. Para mais informações acesse: saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.