Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Presidência da República

GOIÁS: 27 mil preservativos femininos serão distribuídos no estado durante o carnaval

Ao todo, a secretaria deverá distribuir mais de um milhão de preservativos para os municípios goianos


 Usar camisinha é o método mais fácil e eficaz para prevenir o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST. Homens e mulheres devem se prevenir, e, pensando nisso, a Secretaria de Saúde de Goiás vai distribuir preservativos masculinos e femininos durante o período do carnaval. Em todo o estado, serão disponibilizadas 27 mil unidades femininas para a população. Também serão distribuídos aproximadamente 57 mil géis lubrificantes. É o que explica a coordenadora de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das IDT/Aids da Secretaria de Saúde de Goiás, Milca Prado. 

“Iniciamos a distribuição e já estamos quase concluindo o trabalho. Foram distribuídos um milhão quatrocentos e oitenta e três mil preservativos masculinos, em torno de 27 mil preservativos femininos e em torno de 57 mil géis lubrificantes para todos os municípios do estado de Goiás”, explica.  

Ao todo, a secretaria deverá distribuir mais de um milhão de preservativos para os municípios goianos. Mas as camisinhas e outras formas de prevenção estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde. 

Liamar Oliveira, de 53 anos, é servidora pública e soube que era portadora do HIV em 1997. Logo que teve o diagnóstico, começou a tomar os medicamentos indicados. Para ela, isso foi fundamental para que não contraísse a doença. 

“Porque eu peguei o diagnóstico e logo comecei a tomar remédio com rapidez, eu comecei a tomar o remédio e nunca tive nenhuma internação, nada. Eu tomei medicamento durante cinco anos e oito meses, eu fiquei de férias mais um período que era uma avaliação que eu estava fazendo de férias, a terapia aqui em Goiânia. Fiquei de férias de terapia, voltei à terapia, e nunca tive nenhum diagnóstico de aids”, disse.  

Entre 2007 e 2018, foram registrados mais de sete mil e seiscentos casos de aids em pessoas com mais de 13 anos em Goiás. Houve queda nas taxas de diagnóstico da doença, que é mais comum entre pessoas do sexo masculino e com idade entre 30 e 39 anos.  

Então, não se descuide! A dica é simples para os foliões e foliãs: pare, pense e use camisinha. Qualquer dúvida, procure uma Unidade Básica de Saúde. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.
 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Usar camisinha é o método mais fácil e eficaz para prevenir o HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis, as chamadas IST. Homens e mulheres devem se prevenir, e, pensando nisso, a Secretaria de Saúde de Goiás vai distribuir preservativos masculinos e femininos durante o período do carnaval. Em todo o estado, serão disponibilizadas 27 mil unidades femininas para a população. Também serão distribuídos aproximadamente 57 mil géis lubrificantes. É o que explica a coordenadora de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das IDT/Aids da Secretaria de Saúde de Goiás, Milca Prado. 

TEC./SONORA: Milca Prado, coordenadora de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das IDT/Aids da Secretaria de Saúde de Goiás.
 

“Iniciamos a distribuição e já estamos quase concluindo o trabalho. Foram distribuídos um milhão quatrocentos e oitenta e três mil preservativos masculinos, em torno de 27 mil preservativos femininos e em torno de 57 mil géis lubrificantes para todos os municípios do estado de Goiás.” 

LOC.: Ao todo, a secretaria deverá distribuir mais de um milhão de preservativos para os municípios goianos. Mas as camisinhas e outras formas de prevenção estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde. 
Liamar Oliveira, de 53 anos, é servidora pública e soube que era portadora do HIV em 1997. Logo que teve o diagnóstico, começou a tomar os medicamentos indicados. Para ela, isso foi fundamental para que não contraísse a doença. 

TEC./SONORA: Liamar Oliveira, servidora pública
 

“Porque eu peguei o diagnóstico e logo comecei a tomar remédio com rapidez, eu comecei a tomar o remédio e nunca tive nenhuma internação, nada. Eu tomei medicamento durante cinco anos e oito meses, eu fiquei de férias mais um período que era uma avaliação que eu estava fazendo de férias, a terapia aqui em Goiânia. Fiquei de férias de terapia, voltei à terapia, e nunca tive nenhum diagnóstico de aids.” 

LOC.: Entre 2007 e 2018, foram registrados mais de sete mil e seiscentos casos de aids em pessoas com mais de 13 anos em Goiás. Houve queda nas taxas de diagnóstico da doença, que é mais comum entre pessoas do sexo masculino e com idade entre 30 e 39 anos.  

Então, não se descuide! A dica é simples para os foliões e foliãs: pare, pense e use camisinha. Qualquer dúvida, procure uma Unidade Básica de Saúde. Conheça todas as formas de prevenção em aids.gov.br. Ministério da Saúde. Governo Federal. Pátria Amada Brasil.