Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Estudantes do SESI em Goiás aprendem robótica desde o ensino fundamental

Escolas SESI em Goiás registraram 14 mil matrículas em 2018

Salvar imagemTexto para rádio

As escolas do Serviço Social da Indústria (SESI) em Goiás registraram 14 mil matrículas em 2018. Além do conteúdo convencional de ensino fundamental e médio, crianças e adolescentes têm, em sala de aula, a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre tecnologia, na disciplina de robótica. 

Andreina Ferreira tem 16 anos e está no terceiro ano do ensino médio. Por se interessar por física e matemática, ela decidiu entrar para uma equipe de robótica do SESI em Aparecida de Goiânia para participar de competições e fazer parte de projetos de pesquisa. 

Uma de suas grandes conquistas foi chegar à final da etapa nacional do Torneio de Robótica FIRST LEGO League, disputado em março, no Rio de Janeiro. Andreina diz que reconhece que, se não fosse a robótica, não teria o rendimento que tem hoje. 

“Ela [a robótica] ajuda a gente a desenvolver aspectos cognitivos diferentes. A gente tem um aprendizado muito maior, uma vontade de querer aprender as coisas muito maior”, afirma a jovem.

O SESI é uma das nove instituições que compõem o Sistema S. Esse sistema atua, prioritariamente, nas áreas de educação básica, ensino profissionalizante, saúde e segurança do trabalho e qualidade de vida do trabalhador.
Somente em 2018, o SESI realizou 1,1 milhão de matrículas em educação básica, continuada e em ações educativas em todo o Brasil. Ao todo, 3,5 milhões de pessoas foram beneficiadas com serviços de saúde e segurança da instituição. 
No SENAI, foram 2,3 milhões de matrículas em educação profissional em 2018 e 19,7 mil empresas atendidas em serviços técnicos e tecnológicos. 

Na avaliação do economista e especialista em educação Cláudio de Moura e Castro, que já trabalhou na Organização Internacional do Trabalho, no Banco Mundial e no Banco Interamericano de Desenvolvimento, o SENAI possui um diferencial em relação a outros países “em desenvolvimento”. 

O especialista afirma não conhecer “nenhuma escola de país em desenvolvimento que chegue próximo às escolas do SENAI”. “Essas escolas estão praticamente no mesmo nível daquelas escolas que a gente admira nos países avançados”, diz.

O trabalho e a estrutura do Sistema S são elogiados por parlamentares, que defendem no Congresso Nacional a importância dessas instituições para a educação e qualificação profissional de milhões de brasileiros. Caso, por exemplo, do deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), que considera o Sistema S um dos grandes investimentos que o Brasil possui. 

“Se, para os empresários, o Sistema S gera mão de obra qualificada, para os trabalhadores é uma oportunidade de ter uma formação e ter uma vida digna”, argumenta o deputado, que ressaltou a importância e o papel das entidades do sistema na vida do povo brasileiro. 

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Em Aparecida de Goiânia, quem estuda na escola SESI já começa a aprender sobre tecnologia no ensino fundamental. Andreina Ferreira, de 16 anos, que sempre foi interessada por matérias da área de Exatas, já gostava de robótica quando decidiu entrar para a equipe de competição do colégio. 

Uma das alegrias da adolescente foi desenvolver um projeto para ajudar astronautas e chegar à final do Torneio de Robótica FIRST LEGO League, disputado em março, no Rio de Janeiro. Agora, no terceiro ano do ensino médio, a jovem pretende seguir carreira profissional na área. 

TEC./SONORA: Andreina Ferreira, 16 anos 

“Eu reconheço que se não fosse a robótica, eu não teria o rendimento que eu tenho hoje. Porque ela [a robótica] ajuda a gente a desenvolver aspectos cognitivos diferentes. A gente tem um aprendizado muito maior, uma vontade de querer aprender as coisas muito maior.”
 

LOC.: O SESI faz parte do Sistema S, que inclui outras instituições de categoria profissional, como o SENAI e o SESC. Somente em 2018, o SESI realizou 1,1 milhão de matrículas em educação básica, continuada e em ações educativas em todo o Brasil. Ao todo, 3,5 milhões de pessoas foram beneficiadas com serviços de saúde e segurança da instituição. 

No SENAI, foram 2,3 milhões de matrículas em educação profissional em 2018 e 19,7 mil empresas atendidas em serviços técnicos e tecnológicos. 

O economista e especialista em educação Cláudio de Moura e Castro afirma a estrutura e ensino oferecidos pelas escolas SESI e SENAI são, literalmente, de primeiro mundo. 

TEC./SONORA: Cláudio de Moura e Castro, economista e especialista em educação

“Por quase 15 anos, trabalhei na OIT, no Banco Mundial e no BIT. Me coube, nesse momento, visitar muitas escolas profissionais, dezenas, algumas em países avançados, mas a maioria nos países ditos ‘em desenvolvimento’. Uma coisa me chamou atenção: eu não vi nenhuma escola de país em desenvolvimento que chegasse próximo às escolas do SENAI. Pelo contrário, essas escolas estão praticamente no mesmo nível daquelas escolas que a gente admira nos países avançados.”

LOC.: O deputado federal Elias Vaz, do PSB de Goiás, é um dos defensores do Sistema S e considera as instituições como SESI e SENAI um grande investimento para o Brasil. 

TEC./SONORA: Elias Vaz, deputado federal

“Eu digo que atende aos trabalhadores e aos empresários. Se para os empresários ele gera uma mão-de-obra qualificada, para os trabalhadores é uma oportunidade de ter uma formação e ter uma vida digna. ”

LOC.: Além do SESI, o SENAI é uma instituição que tem o objetivo de treinar e capacitar trabalhadores para indústria. Incentiva, também, jovens que acabaram de sair do ensino básico a se matricularem em um curso técnico, o que na maioria das vezes aumenta as chances de entrar no mercado de trabalho. 

Reportagem, Sara Rodrigues