Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: EBC

Economia opera abaixo da capacidade em todo o Brasil, aponta Banco Central

Para economista, caminho da recuperação passa pelas reformas da Previdência e tributária


Dados divulgados pelo Banco Central apontam que a economia opera abaixo da capacidade em todo o Brasil.

Segundo o Boletim Regional, o nível da atividade econômica no Norte recuou, no trimestre encerrado em maio, por conta do fraco desempenho da indústria extrativa no Pará e parcialmente compensado pelo comércio regional e pela produção do Polo Industrial de Manaus.

No Nordeste, o cenário é resultado da combinação de elevação no volume de serviços prestados e, principalmente, nas vendas do comércio, com a retração da produção das fábricas.

A atividade econômica no Centro-Oeste também registrou queda no trimestre encerrado em maio por conta da retração nos setores industriais, especialmente os segmentos da transformação e de energia e saneamento.

Já a economia da região Sudeste do país, nos últimos meses, apresentou um resfriamento no ritmo de recuperação, por conta da produção industrial – impactada principalmente pela atividade extrativa –, e pelo volume de serviços.

De acordo com o Banco Central, a evolução dos principais indicadores econômicos da região Sul reforça o processo de acomodação da atividade no primeiro semestre do ano, em linha com a trajetória observada no país.

Segundo o economista Ciro Almeida, são as reformas estruturais, unidas entre si, que vão fazer com que com que o Brasil cresça economicamente.

“A Reforma da Previdência é o primeiro passo; a medida Provisória da Liberdade Econômica também é uma agendo muito importante; na sequência também a expectativa da Reforma Tributária. Aí sim, a gente está construindo toda uma agenda reformista, que é essencial para a retomada da atividade econômica. E aí, a gente vem com outras sequências, que é a entrada de capital estrangeiro, ancoragem da expectativa de confiança, a segurança jurídica, todo este universo de agendas, de ações, são importantes para a retomada da atividade econômica sustentável do Brasil”, ressalta.

No que se refere ao mercado de trabalho, o emprego com carteira assinada dá sinais de abatimento no ritmo de expansão. Por outro lado, o recuo da taxa de desocupação e a expansão da massa de rendimentos sugerem a ampliação da demanda nos próximos trimestres, que deverá ser ampliada pela liberação de recursos das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS.
 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Dados divulgados pelo Banco Central apontam que a economia opera abaixo da capacidade em todo o Brasil.

Segundo o Boletim Regional, o nível da atividade econômica no Norte recuou, no trimestre encerrado em maio, por conta do fraco desempenho da indústria extrativa no Pará e parcialmente compensado pelo comércio regional e pela produção do Polo Industrial de Manaus.

No Nordeste, o cenário é resultado da combinação de elevação no volume de serviços prestados e, principalmente, nas vendas do comércio, com a retração da produção das fábricas.

A atividade econômica no Centro-Oeste também registrou queda no trimestre encerrado em maio por conta da retração nos setores industriais, especialmente os segmentos da transformação e de energia e saneamento.

Já a economia da região Sudeste do país, nos últimos meses, apresentou um resfriamento no ritmo de recuperação, por conta da produção industrial – impactada principalmente pela atividade extrativa –, e pelo volume de serviços.

De acordo com o Banco Central, a evolução dos principais indicadores econômicos da região Sul reforça o processo de acomodação da atividade no primeiro semestre do ano, em linha com a trajetória observada no país.

Segundo o economista Ciro Almeida, são as reformas estruturais, unidas entre si, que vão fazer com que com que o Brasil cresça economicamente.
 

“A Reforma da Previdência é o primeiro passo; a medida Provisória da Liberdade Econômica também é uma agendo muito importante; na sequência também a expectativa da Reforma Tributária. Aí sim, a gente está construindo toda uma agenda reformista, que é essencial para a retomada da atividade econômica. E aí, a gente vem com outras sequências, que é a entrada de capital estrangeiro, ancoragem da expectativa de confiança, a segurança jurídica, todo este universo de agendas, de ações, são importantes para a retomada da atividade econômica sustentável do Brasil.”

No que se refere ao mercado de trabalho, o emprego com carteira assinada dá sinais de abatimento no ritmo de expansão. Por outro lado, o recuo da taxa de desocupação e a expansão da massa de rendimentos sugerem a ampliação da demanda nos próximos trimestres, que deverá ser ampliada pela liberação de recursos das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS.

Reportagem, Cintia Moreira