Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Midiamax

BOLETIM DA SAÚDE: Novo programa vai reorganizar atenção primária no SUS

No Boletim da Saúde desta semana vamos trazer informações sobre o Saúde Na Hora. O novo Programa lançado pelo Ministério da Saúde vai reorganizar a atenção primária no SUS.

Salvar imagemTexto para rádio

ABERTURA: Boletim da Saúde. Parceria Rede Nacional de Rádio e Ministério da Saúde.

LOC PAULA: Olá para você que vai acompanhar a nova edição do nosso programa. A partir de agora serão apresentadas informações importantes a respeito da saúde pública, então fiquem atentos para as notícias! Eu sou Paula Rosa e aqui no estúdio comigo, está o Fabrício Lázaro operando a mesa de som e também os jornalistas Érika Braz e Alexandre Penido.

No Boletim da Saúde desta semana vamos trazer informações sobre o Saúde Na Hora. O novo Programa lançado pelo Ministério da Saúde vai reorganizar a atenção primária no SUS. Aquela que é ofertada nos postos de saúde e é considerada a porta de entrada para a assistência no SUS.

LOC ÉRIKA: Quem aderir ao Programa terá que ampliar o horário de atendimento à população nas Unidades de Saúde da Família (USF). As unidades deverão funcionar no almoço, após as 18h ou nos finais de semana. Para ajudar nessa reorganização da assistência, o prefeito vai receber mais recurso do Governo Federal.

LOC ÉRIKA: Os repasses podem chegar a dobrar de valor, dependendo da disponibilidade de equipes de Saúde da Família e Bucal, e do horário de funcionamento das unidades, que vai poder variar entre 60h e 75h por semana.

LOC ALEXANDRE: Esse funcionamento ampliado vai permitir que a população tenha maior acesso a consultas médicas e odontológicas, coleta de exames laboratoriais, testes de rastreamento para Infecções Sexualmente Transmissíveis, triagem neonatal, aplicação de vacinas, acompanhamento pré-natal, entre outros procedimentos.

LOC ALEXANDRE: Atualmente, a maior parte das 42 mil USF em todo o país funcionam 40h semanais.

LOC PAULA: Muito obrigado pelas informações Érika. E vale destacar as unidades que funcionarem nesses horários ampliados deverão atender a alguns requisitos: como por exemplo, manter a composição mínima das equipes de Saúde da Família: com médico, enfermeiro, odontologista e auxiliar de enfermagem sem reduzir o número de equipes que já atuam no município. A USF também deve funcionar sem intervalo de almoço, de segunda a sexta, podendo complementar as horas aos sábados ou domingos. Além disso, a unidade também deve ter o prontuário eletrônico implantado e atualizado.

LOC PAULA: E agora vamos falar da nova campanha de doação de leite materno, um momento de conscientização desse alimento tão essencial para a saúde dos bebês. O Ministério quer mobilizar as mães para aumentar em 15% o volume de leite coletado e aumentar o número de doadoras. A Érika Braz vai explicar melhor a campanha.

LOC ÉRIKA: Além de sensibilizar as gestantes e lactantes para a importância da doação de leite materno, a campanha também quer desmistificar a informação de que é preciso ter ‘muito leite’ para ser doadora. Você sabia que qualquer quantidade de leite humano doado pode ajudar os bebês internados nas UTIs neonatais a terem uma melhor recuperação e uma vida mais saudável? Dependendo do peso do recém-nascido, apenas 1 ml já é suficiente para nutri-lo a cada refeição! 

LOC ALEXANDRE: Segundo a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RBLH), entre os anos de 2008 e 2018, 2 milhões de recém-nascidos foram beneficiados com 2 milhões de litros de leite humano que foram retirados de 1,8 milhão de mulheres. Mas essa quantidade coletada supre apenas 55% da demanda real. Por isso, o Ministério da Saúde lança, todos os anos, uma campanha para estimular a doação de leite materno no país.

LOC ÉRIKA: E o slogan da campanha desse ano Paula diz tudo: “Doe Leite Materno, alimente a vida”. Para os bebês prematuros, de baixo peso ou internados, o leite materno ajuda a salvar suas vidas1

LOC PAULA: Muito obrigado pelas notícias Érika. E com essa última bela iniciativa, nós encerramos o programa desta semana! Se você gostou das reportagens ou quiser saber mais, acesse nossa playlist em SoundCloud.com/ministeriodasaude. E para continuar acompanhando outras notícias do Ministério da Saúde basta acessar o portal saúde.gov.br e as nossas redes sociais: facebook.com/minsaude e pelo twitter, @minsaude. Boa semana para todos e até a semana que vem!

ENCERRAMENTO: Boletim do Ministério da Saúde. Apresentação Paula Rosa. Reportagem: Érika Braz e Alexandre Penido. Trabalhos técnicos de Fabrício Lázaro e Rafael Santos. Realização Ministério da Saúde.

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

ABERTURA: Boletim da Saúde. Parceria Rede Nacional de Rádio e Ministério da Saúde.

LOC PAULA: Olá para você que vai acompanhar a nova edição do nosso programa. A partir de agora serão apresentadas informações importantes a respeito da saúde pública, então fiquem atentos para as notícias! Eu sou Paula Rosa e aqui no estúdio comigo, está o Fabrício Lázaro operando a mesa de som e também os jornalistas Érika Braz e Alexandre Penido.

No Boletim da Saúde desta semana vamos trazer informações sobre o Saúde Na Hora. O novo Programa lançado pelo Ministério da Saúde vai reorganizar a atenção primária no SUS. Aquela que é ofertada nos postos de saúde e é considerada a porta de entrada para a assistência no SUS.

LOC ÉRIKA: Quem aderir ao Programa terá que ampliar o horário de atendimento à população nas Unidades de Saúde da Família (USF). As unidades deverão funcionar no almoço, após as 18h ou nos finais de semana. Para ajudar nessa reorganização da assistência, o prefeito vai receber mais recurso do Governo Federal.

LOC ÉRIKA: Os repasses podem chegar a dobrar de valor, dependendo da disponibilidade de equipes de Saúde da Família e Bucal, e do horário de funcionamento das unidades, que vai poder variar entre 60h e 75h por semana.

LOC ALEXANDRE: Esse funcionamento ampliado vai permitir que a população tenha maior acesso a consultas médicas e odontológicas, coleta de exames laboratoriais, testes de rastreamento para Infecções Sexualmente Transmissíveis, triagem neonatal, aplicação de vacinas, acompanhamento pré-natal, entre outros procedimentos.

LOC ALEXANDRE: Atualmente, a maior parte das 42 mil USF em todo o país funcionam 40h semanais.

LOC PAULA: Muito obrigado pelas informações Érika. E vale destacar as unidades que funcionarem nesses horários ampliados deverão atender a alguns requisitos: como por exemplo, manter a composição mínima das equipes de Saúde da Família: com médico, enfermeiro, odontologista e auxiliar de enfermagem sem reduzir o número de equipes que já atuam no município. A USF também deve funcionar sem intervalo de almoço, de segunda a sexta, podendo complementar as horas aos sábados ou domingos. Além disso, a unidade também deve ter o prontuário eletrônico implantado e atualizado.

LOC PAULA: E agora vamos falar da nova campanha de doação de leite materno, um momento de conscientização desse alimento tão essencial para a saúde dos bebês. O Ministério quer mobilizar as mães para aumentar em 15% o volume de leite coletado e aumentar o número de doadoras. A Érika Braz vai explicar melhor a campanha.

LOC ÉRIKA: Além de sensibilizar as gestantes e lactantes para a importância da doação de leite materno, a campanha também quer desmistificar a informação de que é preciso ter ‘muito leite’ para ser doadora. Você sabia que qualquer quantidade de leite humano doado pode ajudar os bebês internados nas UTIs neonatais a terem uma melhor recuperação e uma vida mais saudável? Dependendo do peso do recém-nascido, apenas 1 ml já é suficiente para nutri-lo a cada refeição! 

LOC ALEXANDRE: Segundo a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (RBLH), entre os anos de 2008 e 2018, 2 milhões de recém-nascidos foram beneficiados com 2 milhões de litros de leite humano que foram retirados de 1,8 milhão de mulheres. Mas essa quantidade coletada supre apenas 55% da demanda real. Por isso, o Ministério da Saúde lança, todos os anos, uma campanha para estimular a doação de leite materno no país.

LOC ÉRIKA: E o slogan da campanha desse ano Paula diz tudo: “Doe Leite Materno, alimente a vida”. Para os bebês prematuros, de baixo peso ou internados, o leite materno ajuda a salvar suas vidas1

LOC PAULA: Muito obrigado pelas notícias Érika. E com essa última bela iniciativa, nós encerramos o programa desta semana! Se você gostou das reportagens ou quiser saber mais, acesse nossa playlist em SoundCloud.com/ministeriodasaude. E para continuar acompanhando outras notícias do Ministério da Saúde basta acessar o portal saúde.gov.br e as nossas redes sociais: facebook.com/minsaude e pelo twitter, @minsaude. Boa semana para todos e até a semana que vem!

ENCERRAMENTO: Boletim do Ministério da Saúde. Apresentação Paula Rosa. Reportagem: Érika Braz e Alexandre Penido. Trabalhos técnicos de Fabrício Lázaro e Rafael Santos. Realização Ministério da Saúde.