BAHIA: Materiais de combate ao Aedes vão ser distribuídos em escolas da rede pública

SalvarSalvar imagem

REPÓRTER: As mais de 19 mil escolas baianas já estão participando da mobilização contra o Aedes aegypti que é o transmissor de doenças como a dengue, a febre chikungunya e o zika vírus. A mobilização das escolas de todo Brasil começou na última sexta-feira, no Dia Nacional de Mobilização da Educação. O Secretário de Educação da Bahia, Osvaldo Barreto, comentou sobre a ação e sobre os materiais que estão sendo distribuídos para os alunos.  

 

SONORA: Osvaldo Barreto, Secretário de Educação da Bahia

 

 

“Nós temos aqui organizado, estruturado uma ação em parceria e inclusive nós distribuímos a partir de hoje cartilhas em parceria, que foram elaboradas pela Secretaria de Saúde do estado da Bahia, em todas as escolas da rede pública. Cartilhas inclusive para os alunos, para que eles possam distribuir com suas famílias, com seus vizinhos, que eles possam ser um agente de propagação dessa campanha.”

 

 

REPÓRTER: Na Bahia, a mobilização nas escolas foi marcada pela presença da presidente Dilma Rouseff, em Juazeiro, onde deu uma palestra sobre o mosquito aos alunos do Colégio Alfredo Vianna.  A presidente comentou sobre o desenvolvimento de uma vacina que consiga combater o zika, vírus relacionado ao surgimento de casos suspeitos de microcefalia.

 

SONORA: Dilma Rousseff, Presidente da República

 

“Mas nós estamos pesquisando a vacina. Para pesquisar as vacinas, nós fazemos parcerias com outros países do mundo.

 

REPÓRTER: De acordo com monitoramento feito pelo Ministério da Saúde, a Bahia já registrou, até agora, 583 casos de suspeita de microcefalia, relacionados ao zika vírus. Além disso, 187 casos foram confirmados, o que torna a Bahia um dos estados com maiores índices da doença.  A forma mais eficaz de combater todas as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti é evitar que o mosquito nasça. O Ministro da Saúde, Marcelo Castro, reforçou a importância da participação de toda a sociedade nessa guerra.

 

SONORA: Marcelo Castro, Ministro da Saúde

 

O que a gente precisa ter a compreensão é a de que é um trabalho que é duradouro, que nós não vamos eliminar o mosquito de uma hora para outra e que é preciso ser uma ação continuada, rotineira, sistemática.”

 

REPÓRTER: Mais informações sobre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti e formas de prevenção podem ser encontradas na página da internet: www.combateaedes.saude.gov.br

 

 

 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.