Foto: Dênio Simões/MIDR
Foto: Dênio Simões/MIDR

Ministro Waldez Góes vai a Santarém, no Pará, coordenar apoio à população atingida pela estiagem

Comitiva, que contou com o ministro das Cidades, Jader FIlho, visitou a cidade para discutir ações emergenciais de auxílio a municípios castigados pela falta de chuvas


O ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, esteve em Santarém, no Pará, nesta quarta-feira (15), para prestar apoio à população atingida pela estiagem e discutir ações emergenciais para auxiliar municípios paraenses que têm sofrido fortemente com a falta de chuvas. Em companhia do ministro das Cidades, Jader Filho, do governador do Pará, Helder Barbalho, de parlamentares, prefeitos e lideranças comunitárias, ele reforçou a determinação do presidente, Luiz Inácio da SIlva, de acompanhar de perto a situação e colocar todos os ministérios a serviço da população da região Norte, que tem sofrido com a estiagem.

"Atualmente, a Amazônia tem 120 municípios vivendo essa estiagem. Por determinação do presidente Lula, em parceria integral com o governo do Pará e os prefeitos das diversas regiões, o Governo Federal está atuando para amenizar esse sofrimento", afirmou o ministro Waldez Góes. "Isso deve ser ampliado, porque está previsto que a estiagem atinja Roraima, agora em dezembro, somando-se ao Amapá e ao Amazonas, que também estão passando por esse período", completou.

Até o momento, 20 municípios paraenses já obtiveram o reconhecimento federal de situação de emergência devido à estiagem, e um por causa da seca. Confira a lista completa aqui. Por meio da Defesa Civil Nacional, o MIDR já liberou quase R$ 18 milhões em recursos para ações de assistência humanitária, como compra de cestas básicas e água potável.

A comitiva desembarcou no aeroporto de Santarém e se deslocou para o ponto de assoreamento na Bacia do Amazonas. Em seguida, visitou a comunidade ribeirinha de Igarapé da Praia, fortemente atingida pela estiagem, com a intenção de reconhecer as necessidades das famílias que vivem na região. Logo após, o ministro Waldez Góes e a comitiva se reuniram com autoridades locais para discussão das medidas emergenciais.

A pescadora Jessica dos Santos, de 29 anos, nasceu na comunidade e, pela primeira vez, passa por problemas de falta de chuvas. Ela destaca a situação difícil pela qual a população local tem passado. “É uma situação crítica para todos os moradores daqui. A nossa maior dificuldade é a água potável”, explicou a pescadora. “A seca do rio afetou muito porque a gente fica impossibilitado de pescar. Todos os lagos secaram”, acrescentou.

O ministro das Cidades, Jader Filho, enfatizou que as ações de apoio à população das cidades atingidas continuam de maneira firme. “Essas ações para mitigar o sofrimento da população estão a todo vapor. Celeridade para o reconhecimento de situação de emergência, auxílio extraordinário para pescadores, entre outras. Tudo para fazer com que comida, água e combustível cheguem mais rápido a essas pessoas”, afirmou Jader Filho.

Para o governador do Pará, Helder Barbalho, as ações conjuntas e a transversalidade entre ministérios têm feito toda a diferença no enfrentamento à ausência de chuvas.

“Essa sensibilidade do Governo Federal é fundamental para juntarmos forças neste momento. Estarmos todos juntos para diminuir o sofrimento da população e cuidar daqueles que mais precisam”, afirmou.

Apoio ao Amapá

De Santarém, o ministro Waldez Góes seguiu viagem para o Amapá onde, no fim de semana, cumprirá, ao lado do senador Davi Alcolumbre e do governador do estado, Clécio Luis, algumas agendas. Eles visitarão os municípios de Tartarugalzinho, Pracuúba e Amapá, que também estão sofrendo com a estiagem.

Na ocasião, o ministro vai se reunir com os prefeitos, ao lado de representantes da Defesa Civil Nacional, também terá encontro com secretários do estado e municipais da Defesa Civil para avaliar a situação e fortalecer as ações de socorro aos municípios atingidos e outros que também já estão passando por dificuldades devido à estiagem, entre eles Santana, Laranjal do Jari e Vitória do Jari.

Waldez Góes também fará uma visita ao arquipélago do Bailique, que sofre com problemas relacionados a um fenômeno conhecido como terras caídas (erosão das terras próximas às margens dos rios). O fenômeno tem provocado um grande assoreamento nos rios dass comunidades que vivem no arquipélago.

Na visita, serão levadas à população ações de socorro, além do MIDR, de outros ministérios, como o Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome.

Como solicitar recursos federais para ações de defesa civil

Cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pela Defesa Civil Nacional estão aptas a solicitar recursos do Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional para atendimento à população afetada.

As ações envolvem socorro, assistência às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura destruída ou danificada. A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD).

Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com o valor a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos.

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: O ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, esteve em Santarém, no Pará, nesta quarta-feira, 15 de novembro, para prestar apoio à população atingida pela estiagem. 

Acompanhado do ministro das Cidades, Jader FIlho, e do governador do Pará, Helder Barbalho, discutiu, com prefeitos e lideranças comunitárias, ações emergenciais para auxiliar municípios paraenses que sofrem com a falta de chuvas. 

Até o momento, 20 municípios paraenses enfrentam a estiagem e um a seca, período de falta de chuvas mais prolongado do que a estiagem. Para conferir a lista completa, acesse mdr.gov.br. 

Waldez Góes destaca a parceria entre os ministérios no enfrentamento à situação. 

TEC/SONORA: Waldez Góes 

“Atualmente, a Amazônia tem 120 municípios vivendo essa estiagem. Por determinação do presidente Lula, em parceria integral com o governo do Pará e os prefeitos das diversas regiões, o Governo Federal está atuando para amenizar esse sofrimento. Isso deve ser ampliado, porque está previsto que a estiagem atinja Roraima, agora em dezembro, somando-se ao Amapá e ao Amazonas, que também estão passando por esse período". 

LOC: No próximo fim de semana, o ministro Waldez Goés vai ao Amapá visitar os municípios de Tartarugalzinho, Pracuúba e Amapá, que também passam por estiagem, além do arquipélago do Bailique, que sofre com assoreamento. Na ocasião, ele vai fortalecer as ações de socorro aos municípios atingidos. 

Para mais informações sobre ações do Governo Federal em proteção e defesa civil, acesse mdr.gov.br. 

Reportagem, Marcus Pereira