Foto: Abraão Bruck/CMBH
Foto: Abraão Bruck/CMBH

Leilão para privatização da CBTU-MG e concessão dos serviços do Metrô-BH será realizado em 22 de dezembro

Edital foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (23). Investimento projetado é de cerca de R$ 4 bilhões ao longo de 30 anos de contrato


Está marcado para 22 de dezembro o leilão de privatização da Companhia Brasileira de Trens Urbanos, a CBTU, no estado de Minas Gerais, o que inclui a concessão dos serviços prestados no metrô da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A empresa vencedora será responsável pela gestão, operação e manutenção da rede, incluindo a Linha 1, de Novo Eldorado a Vilarinho, que será ampliada com a construção de mais uma estação, e também a Linha 2, que será construída e vai operar entre Nova Suíça e Barreiro.

O processo de concessão da CBTU contou com participação do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, que foi responsável por articular os 4 bilhões de reais necessários para a operação. Fernando Diniz, secretário de Fomento e Parcerias com o Setor Privado da Pasta, destaca a importância da participação da iniciativa privada para a melhoria dos serviços.

“A gente está esta semana anunciando a concessão do metrô de Belo Horizonte e essa concessão vai possibilitar que seja modernizada e ampliada mais uma estação e construir a linha 2 do metrô de Belo Horizonte, que é um sonho de todos da capital mineira. Isso só é possível porque é uma ação entre dois governos que valorizam a iniciativa privada como forma de fomentar investimentos e dar mais eficiência ao serviço público.”

O edital de concessão também prevê a renovação da frota de trens e a modernização dos sistemas e da infraestrutura do Metrô da Grande BH, resultando em uma operação mais eficiente e segura. Além disso, também está prevista a disponibilização de sanitários gratuitos nas estações, a melhoria na conexão com as linhas de ônibus municipais e intermunicipais e a redução do intervalo entre as viagens, resultando em menor tempo de espera pelos usuários.

Para mais informações sobre as ações do Governo Federal em mobilidade urbana, acesse mdr.gov.br.
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: Está marcado para 22 de dezembro o leilão de privatização da Companhia Brasileira de Trens Urbanos, a CBTU, no estado de Minas Gerais, o que inclui a concessão dos serviços prestados no metrô da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A empresa vencedora será responsável pela gestão, operação e manutenção da rede, incluindo a Linha 1, de Novo Eldorado a Vilarinho, que será ampliada com a construção de mais uma estação, e também a Linha 2, que será construída e vai operar entre Nova Suíça e Barreiro.


O processo de concessão da CBTU contou com participação do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, que foi responsável por articular os 4 bilhões de reais necessários para a operação. Fernando Diniz, secretário de Fomento e Parcerias com o Setor Privado da Pasta, destaca a importância da participação da iniciativa privada para a melhoria dos serviços.

SONORA FERNANDO DINIZ
“A gente está esta semana anunciando a concessão do metrô de Belo Horizonte e essa concessão vai possibilitar que seja modernizada e ampliada mais uma estação e construir a linha 2 do metrô de Belo Horizonte, que é um sonho de todos da capital mineira. Isso só é possível porque é uma ação entre dois governos que valorizam a iniciativa privada como forma de fomentar investimentos e dar mais eficiência ao serviço público.”

LOC: O edital de concessão também prevê a renovação da frota de trens e a modernização dos sistemas e da infraestrutura do Metrô da Grande BH, resultando em uma operação mais eficiente e segura. Além disso, também está prevista a disponibilização de sanitários gratuitos nas estações, a melhoria na conexão com as linhas de ônibus municipais e intermunicipais e a redução do intervalo entre as viagens, resultando em menor tempo de espera pelos usuários.

Para mais informações sobre as ações do Governo Federal em mobilidade urbana, acesse mdr.gov.br.

Reportagem, Alessandro Mendes