Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Índice de Confiança do Serviço do FGV IBRE subiu 3,7 pontos em junho

Índice alcança o maior valor desde outubro de 2022


O Índice de Confiança do Serviço (ICS) do FGV IBRE subiu 3,7 pontos em junho, alcançando 96,6 pontos. Este é o maior valor desde outubro de 2022, quando o índice atingiu 99,1 pontos. 

A alta do índice acontece em vista da melhora na percepção sobre o momento atual. O Índice de Situação Atual (ISA) avançou para o maior nível desde outubro de 2022. O volume de demanda atual subiu e a situação atual dos negócios avançou. 

Por sua vez, o Índice das expectativas também cresceu para o maior nível desde outubro de 2022. O Índice foi impulsionado pela melhora do indicador de demanda prevista nos próximos três meses. 

A tendência futura dos negócios melhorou também. Ainda que haja queda das vendas previstas, esses dois setores compõem a expectativa futura dos agentes sobre a economia, que em conjunto, estão melhores que no último trimestre. 

Em médias móveis trimestrais houve alta de 3,9 pontos, depois de acumular queda de 11,0 pontos nos dois trimestres anteriores. Esta melhora reitera a recuperação de demanda e redução do pessimismo dos empresários para o segundo semestre do ano. 

Segundo especialistas da FGV, a melhora do setor neste mês e trimestre indica que “o pior já passou” - em referência a quedas recentes sofridas. 

Não é possível afirmar que a recuperação continue firme nos próximos meses, em vista dos desafios da economia, porém há sinais de melhora. Este momento favorável é fundamental para a retomada da confiança dos serviços, dizem os especialistas da Fundação. 

Os dados são da Fundação Getúlio Vargas, a FGV IBRE. 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Índice de Confiança do Serviço (ICS) do FGV IBRE subiu 3,7 pontos em junho, alcançando 96,6 pontos. Este é o maior valor desde outubro de 2022, quando o índice atingiu 99,1 pontos. 

A alta do índice acontece em vista da melhoria na percepção sobre o momento atual. O Índice de Situação Atual (ISA) avançou para o maior nível desde outubro de 2022. O volume de demanda atual subiu e a situação atual dos negócios avançou. 

Por sua vez, o Índice das expectativas também cresceu para o maior nível desde outubro de 2022. O Índice foi impulsionado pela melhoria do indicador de demanda prevista nos próximos três meses. 

A tendência dos negócios melhorou também. Ainda que haja queda das vendas previstas, esses dois setores compõem a expectativa futura dos agentes sobre a economia, que em conjunto, estão melhores que no último trimestre. 

Em médias móveis trimestrais houve alta de 3,9 pontos, depois de acumular queda de 11,0 pontos nos dois trimestres anteriores. Esta melhoria reitera a recuperação de demanda e redução do pessimismo dos empresários para o segundo semestre do ano. 

Segundo especialistas da FGV, a melhoria do setor neste mês e trimestre indica que “o pior já passou” - em referência a quedas recentes sofridas. 

Não é possível afirmar que a recuperação continue firme nos próximos meses, em vista dos desafios da economia, porém há sinais de melhora. Este momento favorável é fundamental para a retomada da confiança dos serviços, dizem os especialistas da Fundação. 

Os dados são da Fundação Getúlio Vargas, a FGV IBRE. 

Reportagem, Luigi Mauri, narração, Karina Chagas.