Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Exportação de carne bovina brasileira cai 2,9%

Por outro lado, o faturamento das vendas aumentou 2,2% nos cinco primeiros meses do ano


Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), as exportações brasileiras de carne bovina registraram queda nos cinco primeiros meses de 2021 em comparação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a maio, foram vendidas ao exterior cerca de 710 mil toneladas, 2,9% a menos do que o período em 2020. No entanto, o faturamento das vendas apresentou um aumento de 2,2%, chegando a US$ 3,2 bilhões no acumulado de 2021.

Desafios do Norte: evento debate produção mineral da maior região do país

Brasil exporta US$ 26,9 bi e balança tem melhor saldo da história em maio

O principal destino das exportações de carnes brasileiras segue sendo a China. O país recebeu cerca de 317 mil toneladas entre janeiro e maio, um aumento de 10,4% em relação ao ano passado. Já o faturamento no período cresceu 5,4% e chegou a US$ 1,5 bilhão.

Os Estados Unidos também tiveram um aumento no volume recebido, apresentando alta de 165,6% com cerca de 33 mil toneladas. O faturamento aumentou 149% e atingiu US$ 250,7 milhões.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), as exportações brasileiras de carne bovina registraram queda nos cinco primeiros meses de 2021 em comparação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a maio, foram vendidas ao exterior cerca de 710 mil toneladas, 2,9% a menos do que o período em 2020. No entanto, o faturamento das vendas apresentou um aumento de 2,2%, chegando a US$ 3,2 bilhões no acumulado de 2021.

O principal destino das exportações de carnes brasileiras segue sendo a China. O país recebeu cerca de 317 mil toneladas entre janeiro e maio, um aumento de 10,4% em relação ao ano passado. Já o faturamento no período cresceu 5,4% e chegou a US$ 1,5 bilhão.

Os Estados Unidos também tiveram um aumento no volume recebido, apresentando alta de 165,6% com cerca de 33 mil toneladas. O faturamento aumentou 149% e atingiu US$ 250,7 milhões.

Reportagem, Poliana Fontenele