Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Enem 2023 está com inscrições abertas; professor dá dicas para exame

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio podem ser feitas até dia 16 de junho. Prova é caminho para educação superior no país


Estão abertas até o dia 16 de junho as inscrições para quem deseja realizar o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem 2023. As provas serão aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro, nas 27 unidades da Federação. Em 2023, o exame completa 25 anos desde a sua primeira aplicação, em 1998.

Quem deseja solicitar atendimento especializado e tratamento por nome social tem o mesmo prazo da inscrição para fazer a solicitação. Para realizar a inscrição basta acessar enem.inep.gov.br/participante, informar CPF e data de nascimento.

Taxa de inscrição

A taxa de inscrição para realizar o exame continua custando R$ 85, e pode ser paga por boleto gerado na Página do Participante, Pix, cartão de crédito, débito em conta corrente ou poupança. 

O prazo para pagar a taxa é até o dia 21 de junho. Segundo o edital, mesmo que seja feriado em algum município e as instituições bancárias estejam fechadas, não haverá prorrogação da data. O resultado da isenção da taxa foi divulgado em maio, e mais de 2,4 milhões de solicitações foram aprovadas. 

Tive isenção da taxa de inscrição, preciso me inscrever?

Sim! Mesmo quem teve isenção da taxa, cujo resultado saiu em maio, precisa se inscrever para realizar a prova. 

Leia também: Resultados da isenção da taxa de inscrição do Enem já estão disponíveis

Boleto venceu e não paguei, ainda consigo fazer a prova?

Segundo o edital, não haverá prorrogação da data de pagamento do boleto, por isso é preciso se organizar para fazer o pagamento antes do dia 21 deste mês. Quem não realizar o pagamento não terá a inscrição confirmada, e não poderá participar do exame.

Para que serve o Enem?

O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar de estudantes que estão concluindo a educação básica, e é a principal forma de entrada para a educação superior no país, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de ações como o Programa Universidade para Todos (Prouni). 

Além disso, instituições  de ensino públicas e privadas também utilizam o Enem para selecionar candidatos. Os resultados podem ser usados como critério único ou complementar dos processos seletivos, além de servirem de parâmetro para acesso a auxílios governamentais como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Dicas para se preparar para o exame

Para o professor de história Gustavo Vieira, do Colégio Santa Maria, é importante realizar a inscrição o quanto antes. “Não deixe para fazer a inscrição em cima da hora, em cima do prazo, porque podem acontecer diversas coisas e você simplesmente não conseguir fazer a sua inscrição e todo o seu preparo ir por água abaixo”, recomenda.

A constância nos estudos também é apontada pelo professor como essencial para o sucesso no Exame, estudando diariamente entre 1h e 2h para se preparar. Além disso, outro ponto importante nessa jornada de preparação é entender como a prova funciona, e a dica para isso é refazer provas de edições anteriores. “Refaça sempre as provas antigas do Enem. È importante que o estudante saiba como realizar as provas do Enem. Não é uma prova comum de escola e também não é uma prova de concurso. As questões são cobradas de forma diferente e a gente precisa estar atento à forma como as questões são cobradas”, ressalta.

 Elanna Sousa Mendes, de 17 anos, estuda na rede pública de ensino de Luziânia, Goiás, e pretende cursar biologia ou medicina veterinária. Ela vem reforçando o estudo para o exame por meio de cursos online, e ressalta a importância da prova. “Pra mim o Enem é algo muito importante, porque ele abre muitas portas, principalmente para a gente que estuda na rede pública, para estar ingressando em alguma universidade que a gente tenha preferência”, analisa
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Estão abertas até o dia 16 de junho as inscrições para quem deseja realizar o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem 2023. Neste ano o exame completa 25 anos desde a sua primeira aplicação, em 1998. Para realizar a inscrição basta acessar enem.inep.gov.br/participante, informar CPF e data de nascimento.

A taxa de inscrição custa R$ 85, e pode ser paga até o dia 21 deste mês por boleto gerado na Página do Participante, pix, cartão de crédito, débito em conta corrente ou poupança. Quem não realizar o pagamento não terá a inscrição confirmada, e não poderá participar do exame. Quem teve isenção da taxa, cujo resultado saiu em maio, também precisa se inscrever para realizar a prova. 

O professor de História Gustavo Vieira, do Colégio Santa Maria, orienta os estudantes a realizarem a inscrição para o exame o mais cedo possível, para evitarem imprevistos. E ainda recomenda que  estudem com constância, inclusive resolvendo provas de edições anteriores para pegar o jeito.
 

TEC./SONORA: professor de história Gustavo Vieira

“Refaz sempre as provas antigas do Enem, é importante que o estudante saiba como realizar as provas do Enem. Não é uma prova comum de escola e também não é uma prova de concurso. As questões são cobradas de forma diferente e a gente precisa estar atento à forma como as questões são cobradas.”


LOC.: A jovem Elanna Sousa Mendes, de 17 anos, estuda na rede pública de ensino de Luziânia, Goiás, e pretende cursar biologia ou medicina veterinária. Ela vem reforçando o estudo para o exame por meio de cursos online, e ressalta a importância da prova.

TEC./SONORA: estudante Elanna Sousa Mendes
“Pra mim o Enem é algo muito importante, porque ele abre muitas portas, principalmente para a gente que estuda na rede pública, para estar ingressando em alguma universidade que a gente tenha preferência.”


LOC.: As provas serão aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro, nas 27 unidades da Federação. O Enem avalia o desempenho escolar dos estudantes que estão concluindo a educação básica, e é a principal forma de entrada para a educação superior no país, por meio do Sistema de Seleção Unificada, o Sisu, e de ações como o Programa Universidade para Todos, o Prouni. 

Os resultados também podem ser usados como critério único ou complementar dos processos seletivos de universidades públicas ou particulares, além de servirem de parâmetro para acesso a auxílios governamentais como o Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies.

Reportagem, Janine Gaspar