Foto: Prefeitura do Crato
Foto: Prefeitura do Crato

Cidade do Crato (CE) terá consulta pública sobre concessão de serviço de esgotamento sanitário

Para quem quiser participar, o formulário da consulta pública está disponível no site da prefeitura municipal


A cidade do Crato, no Ceará, quer ouvir a população sobre o processo de concessão à iniciativa privada dos serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final do esgoto produzido no município. Para quem quiser participar, o formulário da consulta pública está disponível no site da prefeitura municipal. O link é crato.ce.gov.br. As contribuições podem ser feitas até 28 de junho.

Desde a sanção do marco legal do saneamento, em julho do ano passado, quatro leilões de concessão de serviços no setor foram realizados no Brasil, atraindo 70 bilhões de reais em investimentos.

Foram concedidos serviços em Alagoas, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e no estado do Rio de Janeiro.

Gilson Pires, coordenador geral de projetos de água e esgoto do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, reforça que os recursos privados permitirão melhorar o serviço prestado à população. 

"Com essa iniciativa temos a certeza que os resíduos dos esgotos deixarão de ser lançados diretamente em rios e fossas, resultando na despoluição do lençol freático, geração de renda para o município e contribui, também, para a diminuição de doenças de veiculação hídrica, com preservação do meio ambiente".

Após a conclusão da consulta pública, será divulgado o edital de concessão, com expectativa de investimentos de 465 milhões de reais. José Ailton Brasil, prefeito do Crato, afirma que a concessão levará benefícios não só para o seu município, mas para toda a região metropolitana do Cariri, que também engloba as cidades de Juazeiro e Barbalha. Ele elencou os principais ganhos para a população local. 

"A primeira grande vantagem é eliminarmos esse fluxo de água e esgoto aberto na grande cidade. Onde nós vamos ter o tratamento dos nossos resíduos. Em segundo lugar, é a questão da preservação do meio ambiente. E, em terceiro lugar, é uma questão de saúde pública".

Para saber mais sobre as ações de saneamento básico do MDR, acesse mdr.gov.br

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: A cidade do Crato, no Ceará, quer ouvir a população sobre o processo de concessão à iniciativa privada dos serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final do esgoto produzido no município. Para quem quiser participar, o formulário da consulta pública está disponível no site da prefeitura municipal. O link é crato.ce.gov.br. As contribuições podem ser feitas até 28 de junho.

Desde a sanção do marco legal do saneamento, em julho do ano passado, quatro leilões de concessão de serviços no setor foram realizados no Brasil, atraindo 70 bilhões de reais em investimentos.

Foram concedidos serviços em Alagoas, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e no estado do Rio de Janeiro.

Gilson Pires, coordenador geral de projetos de água e esgoto do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, reforça que os recursos privados permitirão melhorar o serviço prestado à população. 

TEC/SONORA: coordenador Gilson Pires

"Com essa iniciativa temos a certeza que os resíduos dos esgotos deixarão de ser lançados diretamente em rios e fossas, resultando na despoluição do lençol freático, geração de renda para o município e contribui, também, para a diminuição de doenças de veiculação hídrica, com preservação do meio ambiente"

LOC: Após a conclusão da consulta pública, será divulgado o edital de concessão, com expectativa de investimentos de 465 milhões de reais. José Ailton Brasil, prefeito do Crato, afirma que a concessão levará benefícios não só para o seu município, mas para toda a região metropolitana do Cariri, que também engloba as cidades de Juazeiro e Barbalha. Ele elencou os principais ganhos para a população local. 

TEC/SONORA: prefeito José Ailton Brasil

"A primeira grande vantagem é eliminarmos esse fluxo de água e esgoto aberto na grande cidade. Onde nós vamos ter o tratamento dos nossos resíduos. Em segundo lugar, é a questão da preservação do meio ambiente. E, em terceiro lugar, é uma questão de saúde pública."

LOC: Para saber mais sobre as ações de saneamento básico do MDR, acesse mdr.gov.br