Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

25 de novembro: Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue

De acordo com o Ministério da Saúde, 1,8% da população doa sangue de forma regular


Em 25 de novembro é celebrado o Dia Nacional do Doador de Sangue. A data tem como objetivo agradecer aos doadores pela ação e sensibilizar a população para a importância do ato, que pode salvar tantas vidas.

De acordo com o Ministério da Saúde, 1,8% da população doa sangue regularmente. O índice fica abaixo dos 2% ideais definidos pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e dos 5% registrados em países da Europa. 

Importância da doação

A doação de sangue é um gesto solidário, que pode salvar vidas. Pessoas que se submetem a tratamentos e intervenções médicas de grande porte e complexidade, como transfusões, transplantes, procedimentos oncológicos e cirurgias precisam dos bancos de sangue. Pacientes com doenças crônicas graves, como Talassemia e Doença Falciforme, também dependem das doações.

A hematologista do Hospital DF Star e responsável técnica pelo Banco de Sangue do Grupo GHS, Sanny Lira, informa que ainda não existe substituto disponível para o sangue. “A gente sabe que a transfusão de sangue é um dos procedimentos mais realizados em todos os hospitais no mundo inteiro. Então nós precisamos sempre de doadores de sangue,porque através desse sangue  nós conseguimos tratar e trazer esperança para todos os pacientes que dele precisam”.

Quem pode doar sangue?

A hematologista do hospital Sírio Libanês de Brasília, Martha Mariana, afirma que os requisitos básicos para a doação de sangue são: estar em boas condições de saúde, ou seja, não ter nenhuma doença ativa e ter entre 16 e 69 anos. É importante que apenas as pessoas com mais de 60 anos já tenham doado sangue alguma vez, pois não é permitido doar pela primeira vez após essa idade.

“Para menores de 18 anos, tem documentos especiais que são necessários e um formulário de autorização pelo responsável. A pessoa precisa pesar no mínimo 50kg para que a gente possa fazer a extração da quantidade de sangue que a gente precisa sem colocar esse doador em risco. Ele precisa estar descansado, é importante ter dormido pelo menos 6 a 8 horas nas últimas 24 horas. É importante que a pessoa que vai doar sangue não vá em jejum, que ela tenha se alimentado, porém evite alimentação gordurosa nas últimas 4 horas antes da doação e que leve um documento original com foto que permita a sua identificação, pode ser documento legalmente no Brasil”, completa.

Outras duas restrições para a doação são não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores e não fumar duas horas antes.

A assistente social responsável técnica pela captação de doadores de sangue do Instituto Nacional de Câncer (Inca), Karla Savedra, orienta sobre pessoas que tiveram Covid-19 e estão em dúvida se podem doar.

“Quem teve covid, hoje o intervalo para poder realizar a doação de sangue é de 10 dias após o término dos sintomas apresentados na doença. E o intervalo para quem tomou a vacina é de sete dias para todos os fabricantes exceto a Coronavac, que o intervalo é de 48 horas para poder realizar a doação. Então se você apresentou os sintomas da doença 10 dias após pode fazer a doação e se você recebeu a vacina sete dias após”, informa.

Doação de sangue: mitos e verdades

Onde doar

Basta procurar as unidades de coleta de sangue, como os Hemocentros, para checar se você atende aos requisitos necessários. 
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Dia Nacional do Doador de Sangue é celebrado em 25 de novembro. O objetivo da data é agradecer aos doadores de sangue e sensibilizar a população para a importância de doar.

De acordo com o Ministério da Saúde, 1,8% da população doa sangue regularmente. O índice fica abaixo dos 2% ideais definidos pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e dos 5% registrados em países da Europa. 

A hematologista do Hospital DF Star e responsável técnica pelo Banco de Sangue do Grupo GHS, Sanny Lira, informa que ainda não existe substituto disponível para o sangue em certos tratamentos de saúde.
 

TEC./SONORA:  Sanny Lira, hematologista 

“A gente sabe que a transfusão de sangue é um dos procedimentos mais realizados em todos os hospitais no mundo inteiro. Então nós precisamos sempre de doadores de sangue porque através desse sangue que nós conseguimos tratar e trazer esperança para todos os pacientes que dele precisam”.
 


LOC.: A hematologista da hospital Sírio Libanês de Brasília, Martha Mariana, afirma que os requisitos básicos para a doação de sangue são: estar em boas condições de saúde, ou seja, não ter nenhuma doença ativa, e ter entre 16 e 69 anos. É importante que as pessoas com mais de 60 anos já tenham doado alguma vez, pois não é permitido doar sangue pela primeira vez após essa idade.
 

TEC./SONORA: Martha Mariana, hematologista

“Para menores de 18 anos, tem documentos especiais que são necessários e um formulário de autorização pelo responsável. A pessoa precisa pesar no mínimo 50kg para que a gente possa fazer a extração da quantidade de sangue que a gente precisa sem colocar esse doador em risco, ele precisa estar descansado, é importante ter dormido pelo menos 6 a 8 horas nas últimas vinte e quatro horas. É importante que a pessoa que vai doar sangue não vá em jejum, que ela tenha se alimentado, porém evite alimentação gordurosa nas últimas 4 horas antes da doação e que leve um documento original com foto que permita a sua identificação, pode ser documento legalmente no Brasil”.
 


LOC.: Não é recomendado ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores e fumar duas horas antes da doação.

A assistente social responsável técnica pela captação de doadores de sangue do Instituto Nacional de Câncer (Inca), Karla Savedra, orienta pessoas que tiveram Covid-19 e estão em dúvida se podem doar.
 

TEC./SONORA: Karla Savedra, Assistente social

“Quem teve covid, hoje o intervalo para poder realizar a doação de sangue é de 10 dias após o término dos sintomas apresentados na doença. E o intervalo para quem tomou a vacina é de sete dias para todos os fabricantes exceto a Coronavac, que o intervalo é de 48 horas para poder realizar a doação. Então se você apresentou os sintomas da doença 10 dias após pode fazer a doação e se você recebeu a vacina sete dias após”.
 


LOC.: Para doar, basta procurar as unidades de coleta de sangue, como os Hemocentros, para checar se você atende aos requisitos necessários. 

Reportagem, Sophia Stein