Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: Ministério da Saúde

São Paulo lidera coleta de leite humano em 2019

A boa ação salva vidas de bebês prematuros cujas mães não podem amamentar por algum motivo.

Salvar imagemTexto para rádio

Ajudar no bem-estar e desenvolvimento de recém-nascidos prematuros e de baixo peso voltou à rotina da paulistana Mariana Grimaldi, de 34 anos, neste ano. Em 2016, a engenheira agrônoma doou leite, quando teve o primeiro filho. A doação foi para o banco do Hospital Ipiranga, na zona sul de São Paulo.

SERVIÇO: Saiba onde doar leite materno em São Paulo

Em 2019, ao ter o segundo bebê, ela voltou a doar, e já faz parte das mais de treze mil e quinhentas mulheres doadoras do nutriente no estado, que ajudaram a abastecer os bancos e postos paulistas nos quatro primeiros meses.

Com excesso de produção após a primeira gestação, Mariana sentia dores nas mamas. Após conversas com a pediatra do filho, a engenheira descobriu a importância da doação de leite materno.

“Eu não sabia da importância, mas conforme fui conversando com a pediatra, ela me explicou da importância da doação. Quando liguei no banco de leite humano também descobri a destinação do leite. A pessoa que está em uma situação que nem a minha, tem que doar. Se você está produzindo excedente, não tem por que não fazer.”

O estado de São Paulo é o líder no ranking nacional da quantidade de leite materno arrecadado, em 2019. De acordo com a Fiocruz, quase 18 mil litros já foram coletados e mais de 14 mil bebês foram beneficiados com as doações. 

A boa ação salva vidas de bebês prematuros cujas mães não podem amamentar por algum motivo. Os números da Fiocruz mostram que, em todo o Brasil, quase 64 mil recém-nascidos já receberam doações. 

A nutricionista do Banco de Leite do Hospital Ipiranga, Dirce Nacaíma, explica que os nutrientes do leite materno são essenciais para o desenvolvimento dos pequenos, e não são encontrados em processados.

“O leite materno é o que está de acordo com a composição do ser humano, que é o contrário do leite em pó. Mesmo que a indústria tenha feito uma formulação falando que é quase parecido com leite materno, o leite em pó nunca terá as mesmas propriedades do leite materno.”  

Em São Paulo, o centro de referência é o Banco de Leite Humano Maria José Guardia Mattar, localizado na Avenida Celso Garcia, número 2477, no bairro de Belenzinho, na zona leste da capital paulista. O telefone de contato é o (11) 2292-4188. Repetindo: (11) 2292-4188. 

Já o centro de referência fora da capital é o Banco de Leite Humano Enfermeira Anália Heck, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto. A unidade é localizada na Avenida Santa Luzia, no Jardim Sumaré. Para informações, basta ligar para (16) 3610-8686. Repetindo: (16) 3610-8686. Ao todo, são 58 Bancos de Leite Humano e 41 postos de coleta em todo o estado. 


Para ser doadora, a mulher precisa ser saudável e apresentar bons resultados nos exames de pré-natal. Se estiver tudo certo, os funcionários de qualquer Banco de Leite fazem o cadastro da mãe e entregam todo o material necessário para a coleta. 

Até 10 dias após a coleta do primeiro leite,  os profissionais da saúde buscam os vidros com leite materno congelado na casa da mãe e transportam o material para o processo de pasteurização no banco de leite. 

 

Viu como o assunto é importante, mãe?  O leite materno tem anticorpos que protegem os bebês de doenças respiratórias e intestinais. E, por isso, ele pode ajudar a reduzir as taxas de mortalidade infantil. É com o leite materno que a criança se desenvolve melhor. 

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite. 

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Ajudar no bem-estar e desenvolvimento de recém-nascidos prematuros e de baixo peso voltou à rotina da paulistana Mariana Grimaldi, de 34 anos, neste ano. Em 2016, a engenheira agrônoma doou leite, quando teve o primeiro filho. A doação foi para o banco do Hospital Ipiranga, na zona sul de São Paulo. Em 2019, ao ter o segundo bebê, ela voltou a doar, e já faz parte das mais de treze mil e quinhentas mulheres doadoras do nutriente no estado, que ajudaram a abastecer os bancos e postos paulistas nos quatro primeiros meses.

Com excesso de produção após a primeira gestação, Mariana sentia dores nas mamas. Após conversas com a pediatra do filho, a engenheira descobriu a importância da doação de leite materno.
 

TEC/SONORA: Mariana Castanheiras Grimaldi, engenheira agrônoma. 

“Eu não sabia da importância, mas conforme fui conversando com a pediatra, ela me explicou da importância da doação. Quando liguei no banco de leite humano também descobri a destinação do leite. A pessoa que está em uma situação que nem a minha, tem que doar. Se você está produzindo excedente, não tem por que não fazer.”
 

LOC.: O estado de São Paulo é o líder no ranking nacional da quantidade de leite materno arrecadado, em 2019. De acordo com a Fiocruz, quase 18 mil litros já foram coletados e mais de 14 mil bebês foram beneficiados com as doações. 

A boa ação salva vidas de bebês prematuros cujas mães não podem amamentar por algum motivo. Os números da Fiocruz mostram que, em todo o Brasil, quase 64 mil recém-nascidos já receberam doações. 

A nutricionista do Banco de Leite do Hospital Ipiranga, Dirce Nacaíma, explica que os nutrientes do leite materno são essenciais para o desenvolvimento dos pequenos, e não são encontrados em processados.
 

TEC/SONORA: Dirce Nacaíma, nutricionista. 

“O leite materno é o que está de acordo com a composição do ser humano, que é o contrário do leite em pó. Mesmo que a indústria tenha feito uma formulação falando que é quase parecido com leite materno, o leite em pó nunca terá as mesmas propriedades do leite materno.”  
 

LOC.: Em São Paulo, o centro de referência é o Banco de Leite Humano Maria José Guardia Mattar, localizado na Avenida Celso Garcia, número 2477, no bairro de Belenzinho, na zona leste da capital paulista. O telefone de contato é o (11) 2292-4188. Repetindo: (11) 2292-4188. 

Já o centro de referência fora da capital é o Banco de Leite Humano Enfermeira Anália Heck, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto. A unidade é localizada na Avenida Santa Luzia, no Jardim Sumaré. Para informações, basta ligar para (16) 3610-8686. Repetindo: (16) 3610-8686. Ao todo, são 58 Bancos de Leite Humano e 41 postos de coleta em todo o estado. 

Para ser doadora, a mulher precisa ser saudável e apresentar bons resultados nos exames de pré-natal. Se estiver tudo certo, os funcionários de qualquer Banco de Leite fazem o cadastro da mãe e entregam todo o material necessário para a coleta. 

Até 10 dias após a coleta do primeiro leite,  os profissionais da saúde buscam os vidros com leite materno congelado na casa da mãe e transportam o material para o processo de pasteurização no banco de leite. 

Viu como o assunto é importante, mãe?  O leite materno tem anticorpos que protegem os bebês de doenças respiratórias e intestinais. E, por isso, ele pode ajudar a reduzir as taxas de mortalidade infantil. É com o leite materno que a criança se desenvolve melhor. 

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite.