IPORÃ (PR): Dengue já atingiu 27 pessoas na cidade de 2015 até 2016, de acordo com secretaria de Saúde

Salvar imagem

LOC: Iporã está intensificando o combate ao mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. Diariamente, cerca de quatro agentes de endemias e 34 agentes comunitários de saúde visitam as casas da população, em busca de lugares que possam ser focos do mosquito. Não é um trabalho fácil. 
Existem cerca de seis mil e 700 imóveis para serem visitados na cidade.  De acordo com Ivanilda Soares, coordenadora de Vigilância Sanitária, Ambiental e Saúde do Trabalhador, o Ipiranga e o Sandra foram os lugares onde os agentes de saúde mais encontraram focos do mosquito. Apesar disso, ela lembra que, como a cidade é muito pequena, não existe um bairro que fique livre do perigo quando o outro está infestado.
 
 TEC/SONORA: Ivanilda Soares, coordenadora de Vigilância Sanitária, Ambiental e Saúde do Trabalhador.
 
“De forma geral, toda a cidade acaba desenvolvendo o mosquito. Ficando infestada. Por ser uma cidade pequena, mobilidade muito grande, deslocamento muito rápido. Então, o problema maior é esse: que não ficam bairros isolados:“eu vou isolar tal bairro e vou fazer um trabalho ali e ele não vai falhar”. Então, é muito difícil por ser uma cidade pequena, com bairros conturbados juntos. Não tem como fazer uma divisão.”
 
LOC: É muito importante lembrar que a Dengue, o Zika e a Chikungunya podem deixar as pessoas muito debilitadas, sem conseguirem levantar da cama. É o caso de Daniela Fernanda, que sentiu na pela as dores da Dengue. A secretária de 34 anos, que mora no Centro, foi picada duas vezes pelo mosquito e passou muito mal. Por isso, ela pede que todos os iporãnenses façam a sua parte na luta contra o mosquito. 
 
 TEC/SONORA: Daniela Fernanda Ferrari, secretária
 
“Porque, às vezes, a gente pensa que, na casa da gente, nunca vai acontecer isso. E aí, a gente não cuida, achando que tem uma coisa caída ali e aquilo ali não vai juntar água, não vai ter alguma coisa. E é aí que a gente vê que está enganado. Então, para a população cuidar mais, porque quem passa por isso  sabe como é ruim. Quem vê de fora às vezes pensa que é exagero, que é frescura, mas não é. Quem sente, ali, que vê como os sintomas são fortes. Então para cuidarem mais por isso, porque a gente nunca sabe o que pode acontecer.”

 LOC: Se você souber de algum lugar que pode ser foco do mosquito em Iporã e que fazer uma denúncia, basta ligar para 3652-1414 e registrar sua ocorrência. Para saber mais sobre como se proteger do mosquito, acesse o site: saude.gov.br/combateaedes

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.