ELDORADO (MS): Vacinação contra HPV continua baixa no município. Apenas 15% das meninas entre 11 e 13 anos tomaram segunda dose

Segunda dose da vacina contra HPV está disponível no posto de saúde, Porto Morumbi, no Centro, de Eldorado. Meninas entre 11 e 13 anos devem ir ao posto para se proteger contra o câncer do colo do útero

SalvarSalvar imagem

REPÓRTER: Apenas 15 por cento das adolescentes de 11 a 13 anos, que moram aqui em Eldorado, receberam a segunda dose da vacina contra o HPV, vírus que causa o câncer do colo do útero. Um mapeamento feito pelo Instituto Nacional do Câncer, indica que, existe um risco estimado de quase 30 casos de câncer do colo do útero, para um grupo de 100 mil mulheres, somente este ano, em todo Mato grosso do Sul. O índice é alto e, preocupa as autoridades de saúde. A vacina contra o HPV está sendo aplicada desde março de 2014, em todos os postos de Saúde do país. O secretario de Ciência Tecnologia e Insumos estratégicos, do ministério da saúde, Jarbas Barbosa, alerta para o alto poder de contaminação do HPV. Ele afirma que, as reações a vacina são as mesmas causadas por qualquer outro tipo de imunização.  
 
SONORA: secretario de Ciência Tecnologia e Insumos Estratégicos, do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa
 
“Essa vacina é uma vacina segura. Hoje em dia é utilizada em mais de 100 países no mundo. Pequenas reações que existem são esperadas. São leves, a grande maioria. Uma dor no local. Tem menina, pela própria faixa etária, vacinando em escola, uma fila grande, a ansiedade. Uma outra menina teve um desmaio, coisa leve também, que é absolutamente esperado. Ou reações alérgicas que podem ocorrer com qualquer tipo de remédio, qualquer tipo de injeção ou mesmo qualquer tipo de alimento. Então, a vacina é absolutamente segura, recomendada pela Organização Mundial da Saúde. Precisamos lembrar que, antes de ser oferecida gratuitamente pelo SUS, uma menina para se proteger contra o HPV, a família tinha que gastar cerca de mil e 500 Reais.” 
 
REPÓRTER: O ginecologista, Olímpio Ferreira de Almeida, do Instituto Nacional do Câncer, compara a situação das adolescentes brasileiras, com as  mulheres que já se imunizaram em países onde a vacina é aplicada há mais tempo.
 
SONORA: Médico, Olímpio Ferreira de Almeida
 
“Nos países desenvolvidos, não se fazia no primeiro momento, o papanicolau. A incidência do câncer era de 14 por cada 100 mil, 10 por cada 100 mil, quando começou a ser aplicada, mas no sistema organizado, eles reduziram a incidência do câncer do colo do útero de quatro a cinco, para cada 100 mil mulheres, então, já reduziu bastante só com o papanicolau. Agora, com a vacina vai reduzir praticamente a zero.”
 
REPÓRTER: A segunda dose da vacina contra o HPV está disponível no posto Porto Morumbi, na Rua Peru, no Centro, de Eldorado. As doses são aplicadas de graça. A adolescente deve levar o cartão de vacina.
 
Reportagem, Rodrigo Santos

Receba nossos conteúdos em primeira mão.