CRIME: Réus são condenados pela morte de vigilante

As penas serão cumpridas em regime inicial fechado em presídios da Região Metropolitana e Belém. 

SalvarSalvar imagem

 

 
REPÓRTER: Após 12 horas de júri popular no Fórum Criminal de Belém, os jurados condenaram, por maioria dos votos, quatro réus acusados de participação no assassinato de Haroldo Paiva Morais, 44 anos, dono de uma pequena empresa de vigilância. Entre os condenados, está a ex-mulher do vigilante, Joesilla Mayara da Rocha, de 34 anos, e o irmão dela, Joenerson Marlley da Rocha, de 33 anos. A ex-mulher do vigilante foi condenada a dezesseis anos de prisão e Joenerson a vinte e quatro anos. As penas serão cumpridas em regime inicial fechado em presídios da Região Metropolitana e Belém. Os dois outros acusados são Jair Mota de Azevedo, de 31 anos, que está preso há três meses por ter sido flagrado com a arma usada no homicídio do vigilante e Herbert da Rocha Oliveira, de 37 anos, conhecido por Edinho. Cada um deles foi condenado a 28 anos de prisão em regime inicial fechado. Com exceção de Jair Mota, que vai continuar preso, todos os demais irão recorrer da sentença em liberdade.
 
Com informações da coordenadoria de imprensa do TJPA, reportagem, Storni Jr.

Receba nossos conteúdos em primeira mão.