BARREIRINHA (AM): Meninas que ainda não tomaram segunda dose da vacina contra HPV devem ir aos postos de saúde do município

Barreirinha apresenta baixo índice de vacinação com segunda dose da vacina contra HPV. Apenas 5% das meninas entre 11 e 13 anos de idade estão protegidas contra o câncer do colo do útero, no município

SalvarSalvar imagem

 

REPÓRTER: Os possíveis efeitos colaterais da vacina contra o vírus HPV fizeram com que a procura pela segunda dose da imunização fosse pequena em Barreirinha. Por conta desses boatos, menos de cinco por cento das meninas entre 11 e 13 anos de idade do município tomaram a vacina. Mas não há o quê se preocupar. O diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis, do ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, afirma que, como qualquer medicamento, a vacina pode haver efeitos colaterais.

SONORA: diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis, do ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch
 
"Qualquer vacina, por ser uma injeção, ela pode produzir efeito colateral. Qualquer injeção pode produzir algum tipo de reação inflamatória no local de aplicação. Pode ficar um pouco vermelho, pode ficar um pouco dolorido, no entanto, isso não representa qualquer gravidade. Assim como qualquer injeção pode provocar a reação em quem não gosta, em quem tem medo ou em quem reage a tomar injeção. Pode ser uma reação de dor, pode ser uma reação de nervosismo, pode até ser uma reação de desmaio, que aconteceria com qualquer injeção e, não por ser uma injeção que contêm a vacina contra o HPV”.
 
REPÓRTER: As meninas de Barreirinha, que têm entre 11 e 13 anos de idade, devem procurar os postos de saúde o quanto antes para tomarem a segunda dose da vacina contra o HPV. Mas, não se esqueçam que após completar cinco anos da primeira aplicação, as garotas devem tomar a terceira dose da vacina contra o vírus. De acordo com o ministério da Saúde, somente com as três doses, a proteção vai estar completa. No município, há quatro postos de saúde que funcionam de segunda a sexta-feira, de oito da manhã às cinco da tarde. Quando as adolescentes forem se vacinar, não devem esquecer de levar o cartão de vacinação ou um documento de identidade.
 
Com colaboração de Guilherme Pesqueira. Reportagem, Henrique Carmo

 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.