ALTO TELES PIRES (MT): Preocupação com nova epidemia de Zika preocupam Lucas do Rio Verde e Nova Mutum

SalvarSalvar imagem

LOC.: Duas cidades da região de Alto Teles Pires começaram 2017 preocupados com o vírus Zika. Lucas do Rio Verde e Nova Mutum. A doença pode desenvolver microcefalia em bebês caso a mãe seja infectada durante a gravidez. Em 2016, Lucas do Rio Verde registrou mais de mil e 500 casos suspeitos de Zika, e quatro de microcefalia. Em Nova Mutum, foram mais de mil e 600 casos de Zika, com quarenta e uma gestantes em observação por apresentarem sintomas da doença. Em Lucas do Rio Verde, uma das principais dificuldades para combater o mosquito, que também transmite Chikungunya e Dengue, são as casas fechadas, como explica a coordenadora de vigilância em Saúde da cidade, Kelly Paludo.

TEC./SONORA: Kelly Paludo, coordenadora de vigilância

“A nossa cidade tem bairros novos, de população jovem, que está no mercado de trabalho. Quando vamos fazer a visita nas casas, não há ninguém naquele horário. Provavelmente porque essa pessoa trabalha em horário comercial assim como nós. Então, não estamos conseguindo ir nesses domicílios.”

LOC.: Já em Nova Mutum, a Secretaria de Saúde está aplicando multas, que variam de 75 a 985 reais, para punir os proprietários de imóveis que não eliminam os focos do mosquito mesmo depois da visita dos agentes. Catiane Saldanha é uma das 89 agentes da cidade e já foi infectada pelo Zika.

TEC./SONORA: Catiane Saldanha, agente de endemias.

“Foram mais ou menos uns quatro ou cinco dias de sintomas. Começou com dores de cabeça, no corpo. Após uns dois ou três dias teve o exantema, que causa a coceira. E depois disso eu fiquei mais alguns dias com o corpo ruim e melhorei.”

LOC.: Para evitar uma epidemia de Zika, Chikungunya e Dengue é necessário permitir o trabalho dos agentes e seguir com os cuidados em casa. Saiba mais em saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal.

 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.