Foto: José Cruz/Agência Brasil
Foto: José Cruz/Agência Brasil

Ricardo Salles pede demissão e deixa Ministério do Meio Ambiente

Bolsonaro nomeou Joaquim Álvaro Pereira Leite, que ocupava o cargo de secretário da Amazônia e Serviços Ambientais, para lugar de Salles


Ricardo Salles pediu demissão do cargo de ministro do Meio Ambiente. Investigado em dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), Salles anunciou a decisão nesta quarta-feira (23), criticando o que chamou de “criminalização” de opiniões divergentes sobre a questão ambiental.

A exoneração foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União do mesmo dia. O presidente Jair Bolsonaro nomeou para o comando do ministério Joaquim Álvaro Pereira Leite, que ocupava o cargo de secretário da Amazônia e Serviços Ambientais da pasta.

Após a exoneração, Salles fez um pronunciamento no Palácio do Planalto citando ações que promoveu como ministro, avaliando que buscou cumprir a orientação do presidente em equilibrar o desenvolvimento econômico com o meio ambiente, com respeito ao setor privado, ao agronegócio e aos empresários.

“Eu entendo que o Brasil, ao longo desse ano e no ano que vem, na inserção internacional e também na agenda nacional, precisa ter uma união muito forte de interesses, de anseios e de esforços. E para que isso se faça da maneira mais serena possível, eu apresentei ao senhor presidente o meu pedido de exoneração, que foi atendido e eu serei substituído pelo secretário Joaquim Álvaro Pereira Leite, que também tem muita experiência e conhece todos esses assuntos”, declarou Salles.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Ricardo Salles pediu demissão do cargo de ministro do Meio Ambiente. Investigado em dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), Salles anunciou a decisão nesta quarta-feira (23), criticando o que chamou de “criminalização” de opiniões divergentes sobre a questão ambiental.

A exoneração foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União do mesmo dia. O presidente Jair Bolsonaro nomeou para o comando do ministério Joaquim Álvaro Pereira Leite, que ocupava o cargo de secretário da Amazônia e Serviços Ambientais da pasta.

Após a exoneração, Salles fez um pronunciamento no Palácio do Planalto citando ações que promoveu como ministro, avaliando que buscou cumprir a orientação do presidente em equilibrar o desenvolvimento econômico com o meio ambiente, com respeito ao setor privado, ao agronegócio e aos empresários.