Foto: Marcello Casal/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

Redução do preço do gás de cozinha em 21,3% anunciada pela Petrobras não é sentida pelo consumidor

Secretaria Nacional do Consumidor notifica distribuidoras


A Petrobras anunciou em maio de 2023 redução de 21,3% no preço do gás liquefeito de petróleo, GLP, o gás de cozinha. A redução seria válida para o botijão de 13 quilos vendido às distribuidoras. 

Entretanto, mais de um mês depois, a queda no preço não é sentida pelos consumidores. 

Por esta razão, na última semana, a Secretaria Nacional do Consumidor, Senacon, notificou distribuidoras por não repassarem queda de preços do gás aos consumidores. 

Segundo o secretário nacional do Consumidor, para a população mais pobre, o preço alto do gás de cozinha é muito prejudicial. A população mais pobre, não raro, precisa recorrer ao uso de lenha, como uma alternativa à utilização do gás de cozinha, diz o secretário. 

A Senacon diz que os dados serão analisados para verificar se há distorções significativas entre os diferentes elos da cadeia de fornecimento e para identificar a existência de irregularidades no processo de precificação. 

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo deve prestar esclarecimentos sobre a ausência da redução do preço do gás de cozinha. 
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A Petrobras anunciou em maio de 2023 redução de 21,3% no preço do gás liquefeito de petróleo, GLP, o gás de cozinha. A redução seria válida para o botijão de 13 quilos vendido às distribuidoras. 

Entretanto, mais de um mês depois, a queda no preço não é sentida pelos consumidores. 

Por esta razão, na última semana, a Secretaria Nacional do Consumidor, Senacon, notificou distribuidoras por não repassarem queda de preços do gás aos consumidores. 

Segundo o secretário nacional do Consumidor, para a população mais pobre, o preço alto do gás de cozinha é muito prejudicial. A população mais pobre, não raro, precisa recorrer ao uso de lenha, como uma alternativa à utilização do gás de cozinha, diz o secretário. 

A Senacon diz que os dados serão analisados para verificar se há distorções entre a produção e distribuição do gás de cozinha, para identificar se há irregularidades no processo de preços do gás. 

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo deve prestar esclarecimentos sobre a ausência da redução do preço do gás de cozinha. 

Reportagem, Luigi Mauri, narração, Sophia Stein.