Foto: ASCOM/MINFRA
Foto: ASCOM/MINFRA

Obra da Transnordestina poderá ser retomada com recursos do Fundo de Investimento do Nordeste (Finor)

Ministério do Desenvolvimento Regional fará análise da evolução do empreendimento para retomada do repasse do financiamento


Com a recente decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), que autorizou a utilização de financiamento por meio de Fundos para a retomada da construção da ferrovia Transnordestina, os Ministérios do Desenvolvimento Regional (MDR) e da Infraestrutura (MInfra) analisam um novo cronograma de repasse de recursos do Fundo de Investimento do Nordeste (Finor).

A Ferrovia conta com um financiamento aprovado de R$ 1,1 bilhão por meio do Finor. Até a suspensão dos repasses dos recursos pelo TCU, em 2017, o Fundo havia repassado R$ 517,1 milhões para as obras. A expectativa é que até o final de setembro todas as análises técnicas sejam realizadas para retomar o fluxo normal do aporte restante de R$ 625,9 milhões já aprovados de financiamento.

“Temos total interesse de contribuir com essa obra tão importante que trará muitos benefícios ao povo nordestino. Assim como a Transposição do São Francisco emancipa a população em relação à água, a Transnordestina vai impulsionar o desenvolvimento econômico da região”, ressalta o ministro Daniel Ferreira.

Um novo cronograma de conclusão do empreendimento foi apresentado na útlima semana pela concessionária responsável pelo empreendimento ao MDR – administrador do Finor -, ao MInfra e à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Uma equipe técnica do MDR realizará uma fiscalização, ainda neste mês de agosto, para averiguar a evolução financeira, física e contábil do empreendimento.

O projeto da ferrovia da Transnordestina prevê a construção de 1.753km de ferrovias nos estados de Pernambuco, Ceará e Piauí, além da recuperação de 585 km do trecho que liga Cabo (PE) a Porto Real do Colégio, em Alagoas.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: A construção da ferrovia Transnordestina poderá contar com recursos do Fundo de Investimento do Nordeste, o Finor. 

Parte do repasse para a obra estava suspenso pelo Tribunal de Contas da União desde 2017, mas foi liberado neste mês de agosto após decisão da corte. 

Com isso, os Ministérios do Desenvolvimento Regional, o MDR, e da Infraestrutura, o MInfra, analisam um novo cronograma para a retomada das obras da ferrovia.

A Transnordestina conta com um financiamento aprovado de um bilhão e cem milhões de reais, por meio do Finor. O Fundo já havia repassado mais de quinhentos milhões de reais para as obras. 

De acordo com o secretário de Fomento e Parcerias com o Setor Privado do MDR, Fernando Diniz, a expectativa é que, até o final de setembro, todas as análises técnicas sejam realizadas para que seja realizado o repasse do montante que resta.

TEC/SONORA: secretário, Fernando Diniz

"O Ministério do Desenvolvimento Regional criou uma força-tarefa de técnicos para ir até a obra da Transnordestina este mês e a expectativa é que até final de setembro todas as análises técnicas sejam realizadas para que a gente possa liberar o montante estimado em mais de seiscentos milhões de reais para que essa obra seja acelerada e gere empregos na região do nordeste."

LOC: O projeto da ferrovia da Transnordestina prevê a construção de quase dois mil quilômetros de ferrovias nos estados de Pernambuco, Ceará e Piauí, além da recuperação de 585 kms do trecho que liga Cabo, em Pernambuco, a Porto Real do Colégio, em Alagoas.

Para mais informações, acesse mdr.gov.br.

Reportagem, Marcus Pereira