SAÚDE: “Narguilé é pior do que cigarro”, diz deputado federal Antônio Bulhões

Os fumantes passivos, aqueles que inalam a fumaça dos que estão consumindo, também correm riscos.

Salvar imagem

LOC: O que parece ser apenas uma brincadeira inofensiva entre jovens pode causar sérios riscos à saúde. O narguilé, uma espécie de cachimbo à base de água, é bastante utilizado em países árabes e virou moda no Brasil.

Por ser à base de água, muitos acreditam que o narguilé não prejudica a saúde. Quem faz o alerta sobre o uso do produto é o pneumologista e coordenador do Programa de Controle de Tabagismo do Distrito Federal, Celso Rodrigues da Silva.

TEC./SONORA: Celso Rodrigues da Silva, pneumologista e coordenador do Programa de Controle de Tabagismo do Distrito Federal
“Uma puxada do narguilé, uma única puxada, equivale a fumar dez cigarros. Então, você imagina a quantidade de produto orgânico que o adolescente coloca para dentro do seu pulmão. Que ele não faz mal, isso é uma balela, ele faz muito mais mal do que o cigarro.”

LOC: No início deste ano, um jovem no Paraná, de 19 anos, foi internado pelo uso do narguilé. Entre os sintomas listados por ele, estavam a falta de ar, febre e tontura. De acordo com Celso Rodrigues da Silva, o fumo queima os cílios pulmonares, que são a defesa do pulmão, e ainda cria dependência, por conta da nicotina presente. O deputado do PRB de São Paulo Antônio Bulhões é autor de um projeto de Lei que proíbe a venda de produtos fumígenos a crianças e adolescentes. Para ele, o projeto vem sanar uma lacuna na legislação a respeito do tema.

TEC./SONORA: Antônio Bulhões, deputado Federal (PRB – SP)
“E segundo estudos que eu tive em mãos, o narguilé consegue ser pior do que os cigarros que estão por aí à venda. Então, essa ideia de que ele não tem toxina, ele não tem nicotina ou não faz mal para a saúde é um verdadeiro engano. Já que nós não podemos proibir a venda dos produtos para o uso do narguilé, eu acredito que seja uma boa iniciativa você proibir (a venda) para os jovens e adolescentes.”

LOC: O pneumologista Celso Rodrigues da Silva avisa que é importante ter consciência dos males do narguilé e mudar os hábitos diários.

TEC./SONORA: Celso Rodrigues da Silva, pneumologista e coordenador do Programa de Controle de Tabagismo do Distrito Federal
“Primeira coisa é tomar conhecimento. Depois, mudar seu comportamento com hábitos mais saudáveis.”

LOC: Os fumantes passivos, aqueles que inalam a fumaça dos que estão consumindo, também correm riscos, pois a fumaça do narguilé carrega, além de nicotina, partículas que sobram da queima do carvão usado para aquecer o fumo.

Reportagem, Jalila Arabi.

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.