SÃO FRANCISCO DO ITABOPOANA (RJ): Município fluminense faz parcerias entre secretarias para ampliar alcance da segunda dose contra

Salvar imagem

TEC: Trilha (BG)
 
LOC: Considerado o segundo maior município em extensão do Rio de Janeiro, São Francisco de Itabapoana está em mobilização para aplicar a segunda dose da vacina contra o Papiloma Vírus Humano, o HPV, em meninas e adolescentes com idades entre 9 e 11 anos. E, nesta etapa da ação, a secretaria municipal de saúde trabalha para melhorar a cobertura vacinal registrada na primeira fase, quando cerca de 31 por cento das meninas da faixa etária receberam a primeira dose da vacina na cidade. Esse número coloca a cidade entre as localidades brasileiras que apresentam os números mais baixos em relação à meta de vacinação contra o HPV estabelecida pelo Ministério, que é de vacinar 80% dessas jovens. Para que a procura melhore e o município consiga vacinar todas as adolescentes, o secretário de saúde do município, Jayme Tinoco Neto, faz um convite especial para as mães e adolescentes na idade de vacinação.
 
TEC: Jayme Tinoco Neto, Secretário Municipal de Saúde
 
“Mães levem suas filhas para vacinar, meninas procurem se vacinar porque você prevenindo a infecção pelo HPV, você está prevenindo também o provável aparecimento de um câncer de colo de útero. Saúde, a gente tem que prevenir é melhor prevenir, isso eu sempre usei, melhor prevenir do que remédio dar.”   
 
LOC: Em São Francisco de Itabapoana existem 26 unidades de saúde com salas de vacina, onde as meninas podem tomar as doses contra o HPV. Além dos postos de saúde, a Secretaria de Saúde fez uma parceria com a Secretaria de Educação para ampliar o alcance da vacina. É o que explica o Secretário de Saúde Jayme Tinoco. O gestor reforça que a participação dos Conselhos Municipais de Saúde também são importantes na campanha de vacinação contra o vírus HPV.
 
TEC: Jayme Tinoco Neto, Secretário Municipal de Saúde
 
“Aqui, nós temos uma parceria com a Secretaria de Educação que a saúde vai à escola. É o Saúde na Escola. Então a gente está pegando o endereço daquelas adolescentes da primeira vacinação e estamos vendo onde é as escolas que elas freqüentam e nós estamos indo nas escolas para fazer a segunda dose para poder alcançar o objetivo que é vacinar todas as adolescentes do município. No Conselho Municipal de Saúde, que eu divulgo sempre pedindo que, com o conselheiro é teoricamente um fazedor de opinião, a gente tenta através dos conselheiros que na comunidade também incentivem e divulgar isso para poder captar essas adolescentes e poder serem vacinadas.”
 

TEC: Sobe e Desce (BG).
 
LOC: A vacina contra o HPV é a principal forma de prevenir doenças como o câncer do colo do útero, terceiro tipo de câncer que mais mata mulheres do país. A vacina é dividida em três doses e só tomando todas elas, as adolescentes ficam livres do vírus. A especialista em vacinas e presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Isabela Balallai, explica como são dadas as doses e destaca que a imunização contra o vírus é mais eficaz quando aplicada nas jovens da faixa etária.
 
TEC: Isabela Balallai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações
 
“São necessárias três doses, e os esquemas, o intervalo entre essas doses, vai variar de acordo com a idade da paciente. As meninas com menos de 15 anos, elas respondem muito melhor à vacina, por conta do sistema imunológico delas ser melhor do que o das mais velhas. Então para elas, a gente faz as três doses em cinco anos. Ela já fica imune, a partir da segunda dose, por isso podemos fazer o que a gente chama de esquema estendido para as mais novas, a terceira doze provavelmente é importante daqui a cinco anos, mas com duas doses, essas meninas já estão protegidas.”
 
LOC:  A vacina contra o HPV é disponibilizada gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde do SUS ou em escolas parceiras. Ela foi introduzida no calendário nacional de vacinação no ano passado para atender meninas de 11 a 13 anos de idade. Este ano, o Ministério da Saúde está priorizando a vacinação de crianças e adolescentes de 9 a 11 anos. As meninas e adolescentes com 12 e 13 anos, que ainda não tomaram a primeira ou a segunda dose, também devem procurar as unidades de saúde para atualizarem o cartão de vacinação. A criança ou a adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção. Obtenha mais informações sobre a vacina contra o câncer do colo do útero e o HPV no portal do Ministério da Saúde na Internet, www.saude.gov.br/hpv.

TEC: Encerra trilha (BG).

 

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.