RONDÔNIA: 45 mil meninas de 9 a 11 anos devem tomar segunda dose da vacina contra HPV no estado.

Salvar imagem

TEC: Trilha (BG).

LOC: Todas as meninas com idade de 9 a 11 anos, do estado de Rondônia, podem ir até uma Unidade Básica de Saúde do SUS para tomar a segunda dose da vacina contra o Papiloma Vírus Humano, o HPV. A vacina é oferecida de forma gratuita pela rede pública de saúde e assegura proteção para os quatro principais subtipos do vírus, responsáveis por 70% dos casos de câncer de colo do útero e de 90% dos casos de verrugas genitais, segundo o Ministério da Saúde. Até o mês de agosto, apenas 25 mil garotas desta faixa etária haviam tomado a primeira dose da vacina. O volume representa 55% do total do público-alvo da ação, que é de mais de 45 mil jovens. Dados do Ministério da Saúde revelam, ainda, que 14 cidades do estado registraram baixas taxas de vacinação, na primeira etapa da mobilização. Estas localidades estão concentradas, em sua maioria, nas regiões Norte e Central rondoniense. Entre esses municípios estão os de Itapuã do Oeste, Alto Paraíso e Rio Crespo, Governador Jorge Teixeira, Ouro Preto do Oeste e Nova União. O Instituto Nacional do Câncer, o Inca, estima que, apenas em Rondônia, de cada 100 mil mulheres, 14 podem contrair doença. Ainda de acordo com o instituto, nos últimos dez anos, quatro mil cento e noventa e cinco mulheres morreram de câncer do colo do útero em toda a região Norte do país. Rafael Gonçalves é coordenador municipal do programa de imunizações na cidade de Ji-Paraná, cidade que alcançou 71% de meninas vacinadas, próximo à meta de 80% defendida pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Saúde do estado. O gestor conta que mesmo uma ação essencial para prevenir um possível câncer futuro, algumas famílias não têm levado suas filhas para a vacinação, argumentando questões pessoais e religiosas.
 
LOC: Rafael Gonçalves, coordenador municipal do programa de imunizações na cidade de Ji-Paraná.
 
“Alguns pais relataram, por convicções religiosas, ou até mesmo, disseram que a vacina tinha alguma reação e não confiavam, e, optaram por não vacinar nesse momento. A gente teve algumas desistências na hora. Depois alguns pais procuraram pra tomar a vacina porque, talvez, se informaram um pouco mais. Mas a gente percebeu que teve uma recusa maior nessa segunda etapa do que no ano passado.”
 
LOC: Ainda segundo o coordenador de imunização de Ji-Paraná, Rafael Gonçalves, o estado e os municípios têm elaborado várias campanhas com o objetivo de tirar todas as dúvidas das famílias.
 
TEC: Rafael Gonçalves, coordenador municipal do programa de imunizações na cidade de Ji-Paraná.
 
“A gente, tanto na primeira etapa de 2014, quanto agora, a gente fez palestras nas escolas, contato com ONGs, divulgação pela rádio, televisão local, faixas informando as datas da campanha. Tudo isso foi feito, então a gente tentou, de todas as formas, entrar em contato com esse pessoal.”
 
TEC: Sobe e desce trilha (BG).
 
LOC: A vacina contra o HPV é disponibilizada gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde do SUS ou em escolas parceiras. Ela foi introduzida no calendário nacional de vacinação no ano passado para atender meninas de 11 a 13 anos de idade. Este ano, o Ministério da Saúde está priorizando a vacinação de crianças e adolescentes de 9 a 11 anos. As meninas e adolescentes com 12 e 13 anos, que ainda não tomaram a primeira ou a segunda dose, também devem procurar as unidades de saúde para atualizarem o cartão de vacinação. A criança ou a adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção. Quem recebeu a primeira dose deve receber agora a segunda dose, administrada seis meses depois da primeira, e a terceira, cinco anos após a primeira dose. A meta do Ministério da Saúde é de que até o final do ano, 80% das meninas com idade entre 9 e 11 estejam vacinadas. Se você é mãe, pai ou responsável por menina nesta idade, leve-a a uma Unidade de Saúde e leve junto o cartão de vacinação. A vacina é o único meio de garantir a proteção contra o HPV pelo resto da vida. Obtenha mais informações sobre a vacina contra o câncer do colo do útero e o HPV em uma unidade de saúde mais próxima de sua casa e no portal do Ministério da Saúde na Internet, www.saude.gov.br/hpv.

TEC: Encerra trilha (BG).

 

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.