RIO GRANDE DO NORTE: Mais de 84 mil meninas devem ser vacinadas contra o HPV no estado

Este ano, o Ministério da Saúde recomenda à secretaria estadual de Saúde do Rio Grande do Norte e às administrações municipais que façam parcerias com as escolas públicas e privadas, repetindo a estratégia adotada na primeira dose da vacina contra o HPV

Salvar imagem

REPÓRTER: O público-alvo da vacinação contra o vírus HPV nas unidades de saúde do Rio Grande do Norte e do todo o Brasil foi ampliado. É que agora o Sistema Único de Saúde incluiu doses da vacina contra o vírus no Calendário Nacional de Vacinação para meninas de 9 a 11 anos. Desde o ano passado, adolescentes de até 13 anos passaram a ser vacinadas. Agora, com a ampliação da faixa etária, as meninas mais novas também podem receber, regularmente, a primeira dose e seguir o esquema vacinal, composto por mais duas doses – a segunda, a ser tomada seis meses depois, e a terceira, de reforço, cinco anos após a primeira. A vacina contra o HPV está disponível para as meninas de 9 a 11 anos e também para todas as adolescentes que ainda não tomaram a segunda dose da vacina. Para a sub-coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, do Rio Grande do Norte, Estela Leal, o principal objetivo dessa vacina é a proteção futura da saúde dessas meninas.

 

SONORA: Sub-Coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Norte - Estela Leal

 

“Essa vacina ela é aplicada muito antes, no caso dessas adolescente, iniciarem a sua vida afetiva, a sua vida sexual para garantir realmente a sua proteção. Então, não há nenhum estímulo em relação à isso, em função da associação dessa vacina com o início da vida sexual. Não existe nenhum estímulo. O que existe sim, é a proteção contra o câncer do colo do útero.”

REPÓRTER: No Rio Grande do Norte, a estimativa do Ministério da Saúde é de que mais de 84 mil meninas com idades entre 9 e 13 anos sejam vacinadas contra o HPV, vírus responsável por provocar o câncer do colo do útero. O ministro da Saúde, Arthur Chioro, reforça aos pais das jovens que não há motivos para terem receio, já que a vacina é segura.

SONORA: ministro da Saúde - Arthur Chioro

"Uma vacina segura, garantida pela Organização Mundial de Saúde [OMS]. Não há registro de acidentes graves, de óbitos, por uso dessa vacina. Portanto, é uma vacina que conta com toda segurança e é por isso que nós estamos apelando a todos os pais, responsáveis, que cumpram o seu papel. Deem a oportunidade a suas filhas escreverem uma nova história que milhares não tiveram a oportunidade de fazer ao longo da sua vida por não ter uma tecnologia tão segura como a vacina do HPV disponível para proteger."

REPÓRTER: Este ano, o Ministério da Saúde recomenda à secretaria estadual de Saúde do Rio Grande do Norte e às administrações municipais que façam parcerias com as escolas públicas e privadas, repetindo a estratégia adotada na primeira dose da vacina contra o HPV, quando mais de 94 por cento das meninas de 11 a 13 anos do estado foram vacinadas. Para saber mais, acesse a página do Ministério da Saúde. O endereço é www.saude.gov.br.

Reportagem, Alexandre Souza

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.