Foto: Arquivo/EBC
Foto: Arquivo/EBC

Receita Federal amplia lista de produtos com despacho aduaneiro prioritário

Entre os produtos listados estão equipamentos hospitalares e matérias-primas destinadas à fabricação de medicamentos, por exemplo


Por meio de uma Instrução Normativa, a Receita Federal ampliou o rol de produtos que terão despacho de importação realizado prioritariamente, para auxiliar no combate à pandemia de Covid-19. 

Entre os produtos listados estão equipamentos hospitalares e matérias-primas destinadas à fabricação de medicamentos, por exemplo. A medida foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (27).

De acordo com os termos de outra Instrução Normativa, que foi publicada no dia 17 de março deste ano, os produtos utilizados no enfretamento à pandemia têm maior celeridade no trâmite aduaneiro. Dessa forma, é permitida a entrega da mercadoria ao importador antes da conclusão da conferência aduaneira.

Com a nova norma, o objetivo da Receita Federal é manter um trâmite rápido no que diz respeito ao abastecimento de bens, mercadorias e matérias-primas destinadas ao enfrentamento à pandemia. Com isso, o órgão busca evitar burocracias que geram gargalos durante a entrega da carga.

A medida segue a mesma linha do plano de resposta à epidemia criado pelo Ministério da Saúde, que declara Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin) em decorrência da Infecção Humana pelo novo Coronavírus.

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Por meio de uma Instrução Normativa, a Receita Federal ampliou o rol de produtos que terão despacho de importação realizado prioritariamente, para auxiliar no combate à pandemia de Covid-19. 

Entre os produtos listados estão equipamentos hospitalares e matérias-primas destinadas à fabricação de medicamentos, por exemplo. A medida foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (27).

De acordo com os termos de outra Instrução Normativa, que foi publicada no dia 17 de março deste ano, os produtos utilizados no enfretamento à pandemia têm maior celeridade no trâmite aduaneiro. Dessa forma, é permitida a entrega da mercadoria ao importador antes da conclusão da conferência aduaneira.

Com a nova norma, o objetivo da Receita Federal é manter um trâmite rápido no que diz respeito ao abastecimento de bens, mercadorias e matérias-primas destinadas ao enfrentamento à pandemia. Com isso, o órgão busca evitar burocracias que geram gargalos durante a entrega da carga.

A medida segue a mesma linha do plano de resposta à epidemia criado pelo Ministério da Saúde, que declara Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin) em decorrência da Infecção Humana pelo novo Coronavírus.

Reportagem, Marquezan Araújo