PIAUÍ: Estado pretende aplicar segunda dose da vacina contra HPV em 89 mil meninas entre 9 e 11 anos.

SalvarSalvar imagem

TEC: Trilha (BG).
 
LOC: As Unidades Básicas de Saúde do SUS e escolas piauienses estão em mobilização para aplicar a segunda dose da vacina contra o Papiloma Vírus Humano, o HPV. A meta do Ministério da Saúde e da secretaria estadual de saúde é vacinar 89 mil meninas entre 9 e 11 anos contra o vírus, que é o principal responsável pelo câncer do colo do útero entre as mulheres. Neste ano, até o mês de agosto, 38 mil adolescentes dessa faixa etária, 42% do público-alvo, haviam tomado a primeira dose da vacina no Piauí.  Em 120 das 224 cidades piauienses alcançaram a média de 23% de garotas vacinadas, segundo dados do ministério. Esse agrupamento se concentra, principalmente, no centro-norte e no sudeste do estado. Estão neste grupo os municípios de Pimenteiras, Regeneração, Floriano, Santa Cruz dos Milagres, Jaicós, Simplício Mendes, Dom Inocêncio, Jacobina do Piauí, Coronel José Dias e Simões. A coordenadora de Imunização do estado do Piauí, Jurema Machado, explica que muitos pais ainda têm dúvidas sobre a vacina e essa é uma das grandes barreiras enfrentadas na hora da vacinação.
 
TEC: Jurema Machado, Coordenadora de Imunização do estado de Piauí.
 
“Ainda existem pais ou responsáveis que têm essa dificuldade de entender que a vacina não vai fazer com que a menina inicie a atividade sexual precocemente. Então os municípios estão trabalhando nessa linha, com alguns pais ou responsáveis, fazendo palestras nas escolas, mostrando a importância de vacinar contra o HPV. Ainda existem sim pais ou responsáveis que tem esse pensamento e que não entendem a grande vantagem de sua filha estar recebendo essa vacina.”
 
 
TEC: Sobe e desce trilha (BG).
 
LOC: A vacina oferecida pelo Ministério da saúde precisa ser tomada três vezes para que a jovem fique totalmente protegida. Então, a menina deve tomar a primeira dose, seis meses depois tomar a segunda e, cinco anos após ter tomado a primeira, tomar a última dose da vacina. Segundo o ministério, existem mais de 100 tipos diferentes de vírus HPV. A vacina combate os quatro tipos mais graves, que são responsáveis pela maioria dos casos de câncer no colo do útero e verrugas genitais. Vânia da Silva é professora e mora na cidade de Parnaíba, no Piauí. Ela é mãe da Giovana, de 10 anos. A pequena já tomou a primeira dose da vacina na escola, conta a mãe. Vânia pretende levar a filha para tomar a segunda dose, porque sabe da importância da vacina.
 
TEC:  Vânia da Silva, professora e mãe
              
“Bom, foi a campanha que foi lançada pelo Ministério, que envolveu todas as escolas, e foi exatamente na escola que ela tomou. Eu achei importante porque é uma prevenção pra quando ela já tiver começado sua vida, ela já vai estar mais protegida.”
 
LOC: De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer, 400 novos casos de câncer no colo de útero devem surgir no Piauí em 2015. Isto significa que, em cada 100 mil mulheres, quase 24 correm o risco de desenvolver a doença no estado. É por isso que Dona Vânia alerta sobre a importância de se preocupar com o futuro da filha.
 
TEC: Vânia da Silva, mãe da Giovana.
 
“Eu diria que nós, como mães, devemos nos preocupar com o futuro das nossas filhas, com a saúde delas, porque não é porque elas estão tomando essa vacina, que a gente esteja incentivando que elas tenham relação mais cedo. Mas que, quando chegar o momento, elas já estejam protegidas, pelo menos que das tantas doenças que têm aí, que elas já estejam pelo menos livres dessas doença, que é tão mortal é tão perigosa. Então nós devemos, sim, levar nossas filhas para tomar essa vacina, porque é uma doença a menos que elas podem ter no futuro, se não estiverem protegidas”.
 
TEC: Sobe e desce trilha (BG).
 
LOC: A vacina contra o HPV é disponibilizada gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde do SUS ou em escolas parceiras. Ela foi introduzida no calendário nacional de vacinação no ano passado para atender meninas de 11 a 13 anos de idade. Este ano, o Ministério da Saúde está priorizando a vacinação de crianças e adolescentes de 9 a 11 anos. As meninas e adolescentes com 12 e 13 anos, que ainda não tomaram a primeira ou a segunda dose, também devem procurar as unidades de saúde para atualizarem o cartão de vacinação. A criança ou a adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção. Quem recebeu a primeira dose deve receber agora a segunda dose, administrada seis meses depois da primeira, e a terceira, cinco anos após a primeira dose. A meta do Ministério da saúde é de que até o final do ano, 80% das meninas com idade entre 9 e 11 estejam vacinadas. Se você é mãe, pai ou responsável por menina nesta idade, leve-a a uma Unidade de Saúde e leve junto o cartão de vacinação. A vacina é o único meio de garantir a proteção contra o HPV pelo resto da vida. Obtenha mais informações sobre a vacina contra o câncer do colo do útero e o HPV em uma unidade de saúde mais próxima de sua casa e no portal do Ministério da Saúde na Internet, www.saude.gov.br/hpv.

TEC: Encerra trilha (BG).
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.