MACEIÓ (AL): Cidade tem mais de 10% de visitas de agentes recusadas no combate ao mosquito da Chikungunya

SalvarSalvar imagem

LOC: Todos os dias, cerca de 370 agentes de combate às endemias percorrem as ruas de Maceió com o objetivo de visitar as casas da população e ajudar na luta contra o mosquito que transmite a Dengue, o Zika e a Chikungunya.

Esses profissionais olham cada cantinho das casas maceioenses e garantem que, ali, nenhum mosquito vai ter chances de deixar alguém doente. Acontece que um dos problemas enfrentados na capital é a recusa por parte dos moradores, que não permitem que os agentes de endemias façam o seu trabalho. De acordo com a Secretaria de Saúde de Maceió, o percentual de recusas chega a 10% no município, que tem cerca de 490 mil imóveis. Isso significa que, por ciclo de vistorias, quase 50 mil residências não recebem a vistoria e o olhar atento desses profissionais. É por isso que a coordenadora de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores e Animais Peçonhentos, Carmen Samico, pede a colaboração de todos os moradores.

TEC/SONORA: Carmen Samico, coordenadora de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores e Animais Peçonhentos.

“E a gente pede à população que receba o agente, porque ele tem um olhar mais clínico dentro do imóvel para identificar quais são as possibilidades de criadouros que possam estar ali proliferando os mosquitos. Então a gente solicita à população que abra a casa para que o agente faça o trabalho de visita domiciliar para - tanto a identificação dos criadouros - e tratamento daqueles que não podem ser destruídos e destruição dos criadouros possíveis.”

LOC: De acordo com Carmen Samico, um dos problemas recorrentes na hora da visita dos agentes é o medo que os moradores têm de deixar um desconhecido entrar em casa. Para garantir a segurança de todos, Carmem garante que os agentes de combate ao vetor estão sempre identificados.

TEC/SONORA: Carmen Samico, coordenadora de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores e Animais Peçonhentos.

“Em Maceió ele vai usar um colete e, parte deles, também vai usar um crachá de identificação. E caso a população tenha, ainda ,dúvidas sobre se aquela pessoa que está solicitando a permissão para entrar dentro da residência para fazer a visita domiciliar é um agente de combate de endemias, ela também pode ligar para os nossos telefones de denúncia. A gente tem dois: O 3315-5360 e 3221-2523, então ele também pode ligar para confirmar se aquele é um agente de endemias, ou não.”

LOC: Quaisquer dúvidas ou denúncias de criadouros podem ser feitos por esses números. Repetindo: 3315-5360 ou 3221-2523. Vale lembrar que, até agora, foram registrados em Maceió 24 casos de Chikungunya, 24 de Zika e 20 de Dengue. Para saber como você pode ajudar na luta contra o mosquito, acesse o portal do Ministério da Saúde na internet, no endereço: saude.gov.br/combateaedes.
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.