LAVA-JATO: Vaccari e Duque são condenados por corrupção e lavagem de dinheiro

Salvar imagem

 
 
 
REPÓRTER: O ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores, PT, João Vaccari Neto e o ex-diretor de Serviços da Petrobras, Renato Duque, foram condenados pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, nesta segunda-feira. A condenação é referente a uma ação penal originada na 10ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em março deste ano. A sentença foi assinada pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância. Duque também foi condenado por associação criminosa. A pena para o ex-diretor vai ser de 20 anos e 8 meses, e para Vaccari de 15 anos e 4 meses de reclusão. Os dois estão presos no Complexo Médico-Penal, em Pinhas, na região metropolitana de Curitiba. Também foram condenados os delatores Pedro Barusco, ex-gerente da Petrobras, Augusto Mendonça, executivo da Toyo Setal, o doleiro Alberto Youssef, o operador Mario Goes e o lobista Julio Camargo. De acordo com a sentença, foram pagos quase R$ 23 milhões em propina na Diretoria de Abastecimento, pelos consórcios Interpar e CMMS. E outros R$ 43 milhões na Diretoria de Serviços. O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, também era réu nesta ação, pelos crimes de lavagem de dinheiro, e de dissimulação de repasses criminoso. Porém, ele foi absolvido pelo juiz por falta de prova suficiente de que participou diretamente desses crimes.
 

 


Reportagem, Vânia Almeida

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.