HPV: Maiores cidades acrianas ampliam mobilização para vacinar meninas de 9 a 11 anos contra o HPV

SalvarSalvar imagem

TEC: Trilha (BG)

LOC
: Com a meta de vacinar oito mil e 521 meninas de 9 a 11 anos, a secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco iniciou a segunda fase da vacinação contra o Papiloma Vírus Humano, o HPV, nas Unidades Básicas de Saúde do SUS e em todas as escolas públicas da capital. A vacina protege as meninas dos quatro principais subtipos do vírus HPV, que são responsáveis por 70 por cento dos casos de câncer do colo do útero em mulheres, doença que mata mais de cinco mil mulheres por ano no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer, o Inca. De acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica de Rio Branco, Socorro Martins, apenas 30 por cento das meninas com idade para vacinação foram imunizadas na capital. A gestora acredita que até o final do ano, a meta de vacinação, que é de 80 por cento, deve ser atingida.
 
TEC: Socorro Martins, diretora de Vigilância Epidemiológica, de Rio Branco.
 
“Nós temos 10.600 meninas, 100% é 10,600 meninas nessa faixa etária. Nós já fizemos 30% é o que nós já temos no nosso sistema, mas como as unidades de saúde estão fazendo ao mesmo tempo em várias escolas, eu acredito que logo, logo, a gente vai tá atingindo um percentual maior”.
 
TEC: Sobe e Desce (BG).
 
LOC: A servidora Pública, Danielle Matos, de Rio Branco, conta que já levou a filha, Beatriz, de nove anos, para tomar a primeira e a segunda dose da vacina contra o HPV.
 
TEC: Danielle Matos, servidora Pública

“Já levei para vacinar, inclusive, ela já está na segunda dose. A própria escola em si, ela já está fazendo um papel, ela já avisa a gente quando vai ser, qual é o dia, manda levar a carteirinha. Acho de estrema importância que a gente possa conscientizar cada vez mais nossos jovens, nossas mulheres, para que elas tenham esse cuidado desde nova”.

TEC: Sobe e Desce (BG).
 
LOC: O calendário de vacinação nas escolas de Rio Branco prossegue até fim do período letivo. No entanto, a vacina vai continuar disponível nas unidades de saúde da capital. Já em Sena Madureira, na região do Alto Purus, a coordenação de Imunização do município trabalha com a meta de vacinar duas mil e 900 meninas. Além da zona urbana, a vacinação contra o HPV também está beneficiando as meninas que moram na zona rural da cidade, por meio do programa de Saúde Itinerante. A campanha já atingiu 64 por cento do público alvo no município, segundo a secretaria municipal de saúde. Na segunda maior cidade do estado, Cruzeiro do Sul, 32 por cento das meninas entre 9 e 11 anos, que tomaram a primeira dose da vacina no começo do ano, foram aos postos para receber a segunda. A informação é da coordenadora municipal de Vigilância Epidemiológica de Cruzeiro do Sul, Thaís Pepe. A gestora conta que a cidade está promovendo palestras para conscientizar as meninas sobre a importância da vacina contra o HPV.
 
TEC: coordenadora municipal de Vigilância Epidemiológica de Cruzeiro do Sul, Thaís Pepe.

“Entramos com uma estratégia de fazer palestras para conscientizar as meninas da importância da prevenção, porque essa vacina é gratuita, porque o câncer é uma das doenças que mais matam mulheres no Brasil. Então, nós temos tentado fazer essa conscientização através de palestras educativas nas escolas”.
 
LOC: Em Tarauacá, o quarto município acrIano mais populoso, a vacinação contra o HPV já atingiu de 35 mil meninas, cerca de 60 por cento do púbico-alvo. A expectativa da secretaria municipal de Saúde é de que, até ao final do ano, 80 por cento das meninas da cidade estejam vacinadas.  A vacina contra o HPV foi introduzida no calendário nacional de vacinação no ano passado. Este ano, o Ministério da Saúde está priorizando a vacinação de crianças e adolescentes de 9 a 11 anos. As meninas e adolescentes com 12 e 13 anos, que ainda não tomaram a primeira ou a segunda dose, também devem procurar as unidades de saúde para atualizarem o cartão de vacinação. A criança ou a adolescente deve tomar três doses para completar a proteção. Quem tomou a primeira dose deve agora tomar a segunda dose, administrada seis meses depois da primeira e, a terceira cinco anos após a primeira dose. A meta do Ministério da Saúde é de que até o final do ano, 80 por cento das meninas com idade entre 9 e 11 anos estejam vacinadas. Se você é mãe, pai ou responsável por meninas nesta idade leve-as a uma Unidade de Saúde. Não se esqueça do cartão de vacinação. A vacina é o único meio de garantir a proteção contra o HPV pelo resto da vida. Obtenha mais informações sobre a vacina contra o câncer do colo do útero e o HPV em uma unidade de saúde mais próxima de sua casa e no portal do Ministério da Saúde na Internet, www.saude.gov.br/hpv.

TEC: Encerra trilha (BG).
 

 

 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.