Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: Lucas Merçon/ FFC

Em jogo histórico de nove gols, Flu vence Grêmio de virada no RS

Time carioca chegou a estar perdendo por três a zero, mas venceu a partida por cinco a quatro

Salvar imagemTexto para rádio

Se você estava achando que início de Brasileirão ainda é sem graça, a terceira rodada que foi disputada neste fim de semana veio para mostrar que emoção e bola na rede são marcas registradas do campeonato.

Foi o que não faltou em Porto Alegre, no duelo entre tricolores. Grêmio e Fluminense tentavam a primeira vitória após três rodadas. Com a bola rolando, a equipe de Renato Gaúcho provou em 20 minutos que é possível jogar bonito e fazer gol. Isso porque André, Éverton Cebolinha e Jean Pyerre balançaram as redes adversárias com facilidade, o que dava indícios de uma goleada elástica. Quando o Flu parecia morto no jogo, Yoni Gonzáles diminuiu aos 38 da primeira etapa. Dois minutos depois, Luciano aproveitou bobeada do goleiro Júlio César e recolocou o time carioca na partida.

Com o três a dois, o técnico Fernando Diniz mudou a postura dos jogadores dentro de campo após o intervalo. E o que se viu na segunda etapa ficará guardado na memória dos torcedores. Empilhando chances no ataque, o Flu chegou ao empate aos nove minutos, gol de cabeça de Matheus Ferraz: três a três. Na reta final do jogo, o experiente Kanneman cometeu pênalti ao segurar o adversário dentro da área. Pedro bateu com categoria e colocou o Tricolor das Laranjeiras a frente no placar. Acha que acabou? Que nada! Depois de fazer o pênalti, Kanneman se redimiu com gol de cabeça e deixou tudo igual para o Grêmio. Vilão a herói em questão de minutos. Quatro a quatro, não perca as contas. Nos acréscimos, os deuses do futebol premiaram o esforço e a ousadia do Fluzão. Após bate-rebate na área, Yoni Gonzáles apareceu de novo e deu números finais ao jogo que será lembrado por muitos e muitos anos. Grêmio quatro, Fluminense cinco. O time gaúcho está em 18º, na zona do rebaixamento, enquanto o Flu saltou para o 13ª posição.

Com menos gols, mas bastante emoção, São Paulo e Flamengo se enfrentaram no Morumbi e demonstraram equilíbrio. O Rubro-Negro, que entrou em campo com uma equipe totalmente reserva, saiu na frente com Berrío, no primeiro tempo. Perto do apito final, Tchê Tchê deixou tudo igual. Esse foi o primeiro gol do volante vestindo a camisa do Tricolor Paulista. Final, São Paulo, em terceiro lugar, um, Flamengo um. 

No Engenhão, o Botafogo conseguiu engatar a segunda vitória seguida, depois de bater o Fortaleza por um a zero, mesmo placar da vitória do Bahia em cima do Avaí. CSA e Santos até que criaram chances, mas não balançaram as redes e empataram em zero a zero. Em BH, o Cruzeiro suou a camisa, mas venceu o Goiás por dois a um.

No jogo da manhã, a Chape ficou no empate com o Atlhetico Paranaense em um a um.

E quem assumiu a liderança foi o Atlético Mineiro, que com um gol no último lance do jogo, bateu o Ceará, de virada, por dois a um, na noite de sábado. Jair garantiu a vitória e a liderança do time mineiro. 

Também no sábado, em jogo quente, o Palmeiras bateu o Internacional em casa por um a zero, gol de Deyverson.

Em Manaus, Vasco e Corinthians fizeram a festa dos torcedores, mas ninguém saiu vencedor: um a um.

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Se você estava achando que início de Brasileirão ainda é sem graça, a terceira rodada que foi disputada neste fim de semana veio para mostrar que emoção e bola na rede são marcas registradas do campeonato.

Foi o que não faltou em Porto Alegre, no duelo entre tricolores. Grêmio e Fluminense tentavam a primeira vitória após três rodadas. Com a bola rolando, a equipe de Renato Gaúcho provou em 20 minutos que é possível jogar bonito e fazer gol. Isso porque André, Éverton Cebolinha e Jean Pyerre balançaram as redes adversárias com facilidade, o que dava indícios de uma goleada elástica. Quando o Flu parecia morto no jogo, Yoni Gonzáles diminuiu aos 38 da primeira etapa. Dois minutos depois, Luciano aproveitou bobeada do goleiro Júlio César e recolocou o time carioca na partida.

Com o três a dois, o técnico Fernando Diniz mudou a postura dos jogadores dentro de campo após o intervalo. E o que se viu na segunda etapa ficará guardado na memória dos torcedores. Empilhando chances no ataque, o Flu chegou ao empate aos nove minutos, gol de cabeça de Matheus Ferraz: três a três. Na reta final do jogo, o experiente Kanneman cometeu pênalti ao segurar o adversário dentro da área. Pedro bateu com categoria e colocou o Tricolor das Laranjeiras a frente no placar. Acha que acabou? Que nada! Depois de fazer o pênalti, Kanneman se redimiu com gol de cabeça e deixou tudo igual para o Grêmio. Vilão a herói em questão de minutos. Quatro a quatro, não perca as contas. Nos acréscimos, os deuses do futebol premiaram o esforço e a ousadia do Fluzão. Após bate-rebate na área, Yoni Gonzáles apareceu de novo e deu números finais ao jogo que será lembrado por muitos e muitos anos. Grêmio quatro, Fluminense cinco. O time gaúcho está em 18º, na zona do rebaixamento, enquanto o Flu saltou para o 13ª posição.

Com menos gols, mas bastante emoção, São Paulo e Flamengo se enfrentaram no Morumbi e demonstraram equilíbrio. O Rubro-Negro, que entrou em campo com uma equipe totalmente reserva, saiu na frente com Berrío, no primeiro tempo. Perto do apito final, Tchê Tchê deixou tudo igual. Esse foi o primeiro gol do volante vestindo a camisa do Tricolor Paulista. Final, São Paulo, em terceiro lugar, um, Flamengo um. 

No Engenhão, o Botafogo conseguiu engatar a segunda vitória seguida, depois de bater o Fortaleza por um a zero, mesmo placar da vitória do Bahia em cima do Avaí. CSA e Santos até que criaram chances, mas não balançaram as redes e empataram em zero a zero. Em BH, o Cruzeiro suou a camisa, mas venceu o Goiás por dois a um.

No jogo da manhã, a Chape ficou no empate com o Atlhetico Paranaense em um a um.

E quem assumiu a liderança foi o Atlético Mineiro, que com um gol no último lance do jogo, bateu o Ceará, de virada, por dois a um, na noite de sábado. Jair garantiu a vitória e a liderança do time mineiro. 

Também no sábado, em jogo quente, o Palmeiras bateu o Internacional em casa por um a zero, gol de Deyverson.

Em Manaus, Vasco e Corinthians fizeram a festa dos torcedores, mas ninguém saiu vencedor: um a um.

Reportagem, Raphael Costa