DIREITOS: Comissão para resgatar a história da escravidão no país é criada pela OAB

DIREITOS: Comissão para resgatar a história da escravidão no país é criada pela OAB

Salvar imagem

Tempo do áudio – 2min05seg

REPÓRTER: A Ordem dos Advogados do Brasil criou nesta semana a Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra no Brasil. O grupo quer resgatar a história desse período, que vem desde o século 17 até meados do 19, as responsabilidades e a construção da população negra para o desenvolvimento do Brasil. Além da comissão, a OAB determinou que novembro vai ser o mês da consciência negra, também, para a advocacia. E ainda vai enviar encaminhamentos com sugestões para o governo federal criar grupos iguais aos que apuram os crimes cometidos durante a ditadura militar. De acordo com o advogado especialista em direitos raciais, Humberto Adami, a comissão é uma vitória para o direito dos negros no país.

SONORA: advogado especialista em direitos raciais - Humberto Adami

"É um momento histórico em que aqueles que vivem direitos humanos, que vivem as lutas contra o racismo, contra a discriminação racial no país devem celebrar. A ideia principal é se inspirar, literalmente, da comissão da verdade dos crimes da ditadura."

REPÓRTER: Ainda de acordo com Humberto Adami, a comissão é mais uma forma de reafirmar a cultura negra no Brasil, além de entender a formação do povo brasileiro no decorrer do período da escravidão.

SONORA: advogado especialista em direitos raciais - Humberto Adami

 "Toda vez que você conhece mais aquilo que você está lidando, você tem condições de melhorar a aplicação dos remédios. Em um curto, médio e longo prazo são tarefas diferentes. E essa é uma tarefa importante de 'refundação', eu diria da nação brasileira."

REPÓRTER: A votação que criou a Comissão da Verdade da Escravidão no Brasil foi acompanhada por representantes de diversas entidades da sociedade civil que lutam pelos direitos da população negra e quilombola. O grupo deve começar as atividades em 2015, ano que marca o início da Década Internacional de Afrodescendentes, aprovada pela Assembleia Geral da ONU, até 2024.

Reportagem, Victor Maciel

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.