CANARARA (MT): Município continua com baixa imunização contra o HPV. Meninas de 11 a 13 anos precisam tomar segunda dose

Vacina contra HPV é segura e está disponível nos postos de saúde, de Canarana

SalvarSalvar imagem

 REPÓRTER: Apenas quatro por cento das adolescentes, entre 11 e 13 anos, que moram em Canarana, tomaram a segunda dose da vacina contra o HPV. O município precisa imunizar, no mínimo, 75 por cento das adolescentes. Pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Câncer, indica que, em 2015, existe um riso estimado de 25 casos de câncer do colo do útero para um grupo de 100 mil mulheres, em todo estado do Mato Grosso. O tratamento contra HPV protege meninas que ainda não iniciaram a vida sexual e, por isso, é recomendado para meninas de 11 a 13 anos. A coordenadora de Atenção Básica, do Município de Caranara, Mariza de Quadros, explica que, as agentes de saúde tem feito uma busca nas residências das meninas, na intenção de convencer os pais de que, a vacina não causa reações graves. Ela lembra, a importância da imunização para as adolescentes e, confirma a segurança das doses.
 
SONORA: coordenadora de Atenção Básica em Saúde, de Caranara, Mariza de Quadros
 
“A vacina, ela é segura, o ministério da Saúde, a Organização Mundial da Saúde, que avalia, eles mesmos estão divulgando que a vacina é extremamente  segura. Se, os pais tiverem alguma dúvida, procurem as unidades de saúde mais próxima, não fique na dúvida, não deixe de vacinar e de receber a orientação adequada.”
 
 REPÓRTER: A proteção contra o câncer do colo do útero é feita em três etapas: as duas primeiras doses, com um intervalo de seis meses e, a terceira, cinco anos após a primeira. Para o ginecologista, Olímpio Ferreira de Almeida, do Instituto Nacional do Câncer, a falta de conhecimento sobre os males causados pelo vírus HPV dificulta a imunização nas adolescentes. Ele cita, o exemplo dos países que já usam a vacina há mais tempo.
 
SONORA: Médico, Olímpio Ferreira de Almeida
 
“Nos países desenvolvidos não se fazia no primeiro momento o papanicolau, a incidência do câncer era de 14 por cada 100 mil, 10 por cada 100 mil, quando começou a ser aplicada, mas no sistema organizado, eles reduziram a incidência do câncer do colo do útero de quatro a cinco, para cada 100 mil mulheres, então, já reduziu bastante só com o papanicolau. Agora, com a vacina vai reduzir praticamente a zero.”
 
REPÓRTER: O ministério da Saúde reduziu a idade para a aplicação da primeira dose da vacina contra o HPV, a partir do mês de janeiro, meninas com nove e 10 anos devem começar a prevenção contra o câncer do colo do útero.
 
Reportagem, Rodrigo Santos

 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.