CANAPI E PORTO CALVO (AL): Cidades precisam atingir a meta de vacinação contra o vírus do HPV

Salvar imagem

REPÓRTER: Dois municípios no estado de Alagoas ainda não conseguiram atingir a meta do ministério da Saúde de 80 por cento de vacinações na campanha de vacinação contra o HPV na segunda fase. Canapi e Porto Calvo apresentam índices abaixo dos 25 por cento de meninas imunizadas na faixa etária de 11 a 13 anos. Apesar da média do estado estar acima dos 60 por cento, a estimativa de morte de mulheres por conta do câncer do colo de útero chega a mais de 300 em Alagoas, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer. A coordenadora do Programa Nacional de Imunização de Maceió ressalta a segurança da vacina.
 
SONORA: Coordenadora do PNI em Maceió, Eunice Raquel Amorim
 
“A vacina é quadrivalente, ela confere a imunidade para quatro tipos de vírus contra o HPV. Então se a gente tem uma vacina ofertada pelo SUS que confere a imunidade, que protege essas meninas contra quatro tipos de HPV e que pode levar ao câncer do colo do útero, porque delas não tomarem se existe a vacina gratuita ofertada pelo SUS, então é muito importante que essas meninas elas sejam imunizadas.”
 
REPÓRTER: No município de Canapi, pouco mais de 20 por cento das meninas entre 11 e 13 anos já vacinaram contra o vírus do HPV. Mesmo assim, o número não é satisfatório para a secretaria municipal de saúde, que oferece as vacinas em todas as unidades de saúde da cidade. Uma das causas desse baixo índice é o medo das meninas sobre algum efeito colateral que a vacina pode causar. Porém, a vacina é o meio mais simples e seguro para prevenção do papiloma vírus. É o que garante o secretário de ciência e tecnologia em sumos estratégicos do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa
 
SONORA: secretário de ciência, tecnologia e insumos estratégicos do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.
 
“Vamos lembrar que essa vacina já é usada em mais de cem países do mundo, essa vacina tem mais de 50 milhões de doses aplicadas na Europa, nos Estados Unidos. É recomendada essa vacina porque é uma vacina eficaz para prevenir o câncer de colo de útero e é uma vacina segura. Nós não tivemos nenhuma reação grave associada a essa vacina no Brasil, como não houve em nenhum lugar do mundo. Há reações adversas, como em qualquer produto injetável, reações alérgicas, reações locais. Isso é infinitamente menor do que os grandes benefícios que essa vacina pode produzir”.
 
REPÓRTER: Já em Porto Calvo, o índice de aplicações na segunda fase ainda continua baixo. Menos de 15 por cento das meninas de 11 a 13 anos foram aos postos de saúde para se vacinarem. Diante disso, a secretaria municipal de saúde vai montar uma força tarefa na volta às aulas indo às escolas para reforçar a aplicação e atingir a meta do ministério da Saúde de 80 por cento. É o que diz a enfermeira e coordenadora de imunização, Daniela Vasconcelos.
 
SONORA: Enfermeira, Daniela Vasconcelos
 
“A segunda dose, a gente montou a estratégia de voltar as escolas com as enfermeiras e a equipe do Saúde da Família para administrar nos alunos que já haviam sido feitos e fazer a busca ativa também para aplicar a primeira dose.”
 
REPÓRTER: Todos os postos de saúde dos dois municípios estão com as doses disponíveis da vacina contra o HPV. Então meninas, vocês que têm de 11 a 13 anos, basta comparecerem às unidades de saúde levando a caderneta de vacinação ou algum documento de identidade e se vacinarem. O processo é simples e importantíssimo para a prevenção contra o câncer do colo de útero. Os postos de saúde tanto de Canapi, quanto de Porto Calvo funcionam de segunda a sexta-feira das oito da manhã às cinco da tarde.    
 
Reportagem, Lucas Bolzan

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.