CAICÓ (RN): Cidade já tem 23 casos notificados de Dengue e Chikungunya em 2017

Salvar imagem

LOC.: As autoridades em saúde de Caicó investigam vinte três casos suspeitos de Chikungunya e de Dengue, registrados apenas em janeiro. A maior preocupação na cidade agora é que dos quarenta e quatro agentes de saúde da cidade, vinte e três, ou seja, um pouco mais da metade, estão de férias, e não há ninguém para substituí-los. Com isso, as zonas oeste e norte de Caicó estão sem receber visitas de agentes de saúde, estratégia fundamental para combater o mosquito que também transmite Zika. Nessas visitas, os agentes ensinam os moradores como combater o transmissor em casa.
A coordenadora da vigilância epidemiológica, Ana Santana, orienta a população caso alguém tenha algum sintoma de uma das três doenças.

TEC./SONORA: Ana Santana, coordenadora da vigilância epidemiológica
“A gente orienta a qualquer sintoma procurar a unidade de saúde. A pessoa está doente, acha melhor ficar em casa, se automedica, não procura nossos serviços. Qualquer pessoa que esteja com sintomas semelhantes a Dengue, Zika ou Chikungunya, que procure o serviço de saúde, que procure o médico, ou profissional enfermeiro que eles vão identificar, se estiver em sinal de alerta eles vão encaminhar para o hospital de referência, se não, eles vão tentar resolver na própria unidade”.

LOC.: Em 2016, Caicó teve mais de 300 casos de Chikungunya. A moradora do bairro Paulo Sexto, Vera Oliveira, de 30 anos, foi uma das vítimas da doença. A assistente social acredita que tenha sido contaminada no trabalho, pois os colegas também ficaram doentes na mesma época.

TEC./SONORA: Vera Oliveira, 30 anos, assistente social
“Quando cheguei à minha casa, depois que tomei banho, não consegui mais levantar, não consegui mais vestir minhas roupas porque as dores musculares eram muito fortes, muita febre, dor no corpo, gosto amargo no paladar, que eu não sentia, muita dor de cabeça. Então assim, foi horrível! Eu passei acho que uns dois meses nessa situação, tive que me afastar do trabalho porque eu não conseguia andar direito, foi bastante complicado. E depois, melhorei entre aspas, porque até hoje eu sinto dores musculares”.

LOC.: Você precisa ajudar no combate ao mosquito. Não dependa somente dos agentes saúde para limpar sua casa. Tire um dia na semana e verifique vasos de plantas e calhas. Limpe uma vez por dia a vasilha de água do seu animal de estimação. Para saber mais sobre as doenças e o mosquito, acesse: saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal.
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.