BELEM: Ajudante de pedreiro é condenado a 30 anos de prisão

Em sessão realizada na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Belém e presidida pelo juiz Raimundo Moisés Flexa, o Conselho de Sentença condenou a 30 anos de reclusão o ajudante de pedreiro Eliton Barros Santos.

Salvar imagem

Tempo de áudio – 1min9seg

REPÓRTER: Em sessão realizada na 2ª Vara do Tribunal do Júri de Belém e presidida pelo juiz Raimundo Moisés Flexa, o Conselho de Sentença condenou a 30 anos de reclusão o ajudante de pedreiro Eliton Barros Santos pela participação no assassinato do empresário Newton da Cunha Leal Júnior, então dono do bar "Garota da Braz"'. O crime ocorreu em 2010. Segundo a promotoria, foi Eliton Barros quem dirigiu o carro roubado da vítima e era o dono da arma usada na morte do empresário. Segundo o Ministério Público, Newton da Cunha Leal Júnior foi morto a mando do sócio Ulisses Lima. Ulisses foi condenado a 30 anos de prisão, bem como Márcio Henrique do Carmo, acusado de atirar na vítima. De acordo com os autos do processo, a vitima estava junto de Ulisses, quando foram surpreendidos por dois supostos assaltantes. Ulisses teria corrido para o outro lado da rua, deixando Newton da Cunha sozinho, o qual foi levado pelos dois homens em seu próprio carro. O veículo foi encontrado no mesmo dia do suposto assalto com o corpo do empresário.

Com informações da coordenadoria de imprensa do TJPA, reportagem, Storni Jr. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.